Filhos e filhas de Santo se despedem de Mãe Tatá do terreiro Casa Branca

Amigos, e filhos e filhas de Santo da ialorixá Mãe Tatá Oxum Tomilá lotaram a Capela B do Cemitério Jardim da Saudade, em Brotas, para se despedir da religiosa, na tarde deste domingo (8). Altamira Cecília dos Santos, como foi batizada, tinha 96 anos, e morreu no Sábado (7).  Ela comandava o terreiro Ilê Axé Iyá Nassô Oká, mais conhecido como Casa Branca do Engenho Velho, o mais antigo de Salvador.

Pela manhã, filhos de santo que estavam na Casa Branca tentavam confortar uns aos outros. Sentados em grupos, debaixo de árvores sagradas, eles conversaram com o CORREIO sobre a trajetória da sacerdotisa que por 38 anos esteve à frente do lendário terreiro, considerado o primeiro monumento negro a ser tombado no país.

Descrita por todos como uma mulher humilde, há cinco anos Mãe Tatá sofria com os efeitos da doença de Alzheimer. De acordo com Antônio Luiz Figueiredo, ogan da casa, a perda da ialorixá cria um rompimento irrecuperável, já que ela era o último elo direto os antepassados escravizados.

“Ela era a última pessoa da casa iniciada por um africano. Ela era neta de africanos. Agora, as próximas gerações serão iniciadas sem esse contato direto”, lamentou.

Fonte: Correio