Homicídios reduzem 9,4% e feminicídios chegam a 101 casos em 2019, diz SSP

Homicídios reduzem 9,4% e feminicídios chegam a 101 casos em 2019, diz SSP

A Bahia apresentou redução de 9,4% nos crimes violentos letais intencionais (homicídios, latrocínios e lesão corporal seguida de morte) em 2019, conforme dados da Secretaria de Segurança Pública. A pasta apresentou o balanço anual nesta segunda-feira (13) no Centro de Operações e Inteligência (COI). Em Santo Antônio de Jesus, foram registradas 4 mortes nos primeiros dias de janeiro. Na última pesquisa sobre crimes violentos, o município é o 7º do ranking.

De acordo com a SSP, o percentual representa 531 vidas preservadas no Estado. Em Salvador, ainda segundo o balanço, a redução de mortes violentas é de 11,4%; enquanto que no interior e cidades da Região Metropolitana (RMS) apresentam diminuição de 9,7% e 4,5%, respectivamente.

Segundo destacou a Secretaria, as investidas contras bancos reduziram quase 26%, o que significa dezessete roubos a bancos a menos contabilizados em relação a 2018. Os números apresentados pela pasta também apontam diminuição nos casos de assaltos em coletivos (3,6%) e ações criminosas contra estabelecimentos comerciais (34%).

De acordo o Jornal a Tarde, os casos computados de feminicídio atingiram a marca de 101 no ano, ante 78 em 2018. “Temos o desafio de fazer com que haja também redução nos feminicídios. A gente tem se empenhado bastante na criação da unidades, da Ronda Maria da Penha, em conjunto com outras secretarias, a exemplo da SPM [Secretaria de Política para Mulheres]. Estamos finalizando um protocolo de enfrentamento às causas do feminicídio, a prevenção e a repressão, mas é um grande desafio”, admite o secretário Maurício Barbosa. Ainda segundo o titular da pasta, dez mil fiscalizações de medidas protetivas foram realizadas em 2019.

A apresentação foi conduzida pelo secretário da SSP com participação dos comandantes-gerais da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros Militar da Bahia, coronéis Anselmo Brandão e Francisco Teles, respectivamente,  o delegado-geral da  Polícia Civil, Bernardino Brito e o diretor em exercício do Departamento de Polícia Técnica,  Alexandro Fiscina.