Cães farejadores encontram R$ 500 mil em drogas em encomenda dos Correios na Bahia

Cães farejadores encontram R$ 500 mil em drogas em encomenda dos Correios na Bahia
Fonte: Ascom PC

Os cães Sonic e Jade, do Canil da Coordenação de Operações Especiais, detectaram R$ 500 mil em drogas que seriam enviadas para Salvador através dos Correios, nesta quarta-feira (11). As ações aconteceram no Centro de Tratamento de Cartas e Encomendas, na BR-324, na altura de Simões Filho.

Além da capital, os entorpecentes chegariam a algumas cidades do interior da Bahia, e outros estados, como São Paulo, Minas Gerais e Ceará. De acordo com o delegado Jesus Pablo, os destinatários são endereços de classe média. “Tratam-se de entorpecentes sintéticos, além de cocaína e maconha com maior teor de THC e preparo mais apurado. Estima-se que estas apreensões gerem um prejuízo de mais de R$ 500 mil ao tráfico”, informou.

Foram apreendidas porções de maconha e os derivados “skunk”, haxixe; cocaína, e as sintéticas ecstasy e LSD.  Durante as buscas, foram encontrados ainda extratos líquidos de THC para serem utilizados em cigarros eletrônicos. Entre as encomendas, também foi encontrado um filhote de cobra da espécie jiboia, que foi encaminhado para um órgão ambiental.

Equipes da Coordenação de Narcóticos do Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco) e do Canil da Coordenação de Operações Especiais (COE) apreenderam drogas em encomendas enviadas via Correios, nesta quarta-feira (11). As ações aconteceram no Centro de Tratamento de Cartas e Encomendas, na BR-324, na altura de Simões Filho.

O coordenador de Narcóticos do Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco), delegado Glauber Uchiyama, destacou a importância das ações. “Esta é a oitava edição da Operação Correios, cujas atividades já retiraram de circulação grandes quantidades de drogas e geraram prejuízos de milhões ao tráfico de entorpecentes. Temos o apoio do Canil da COE, que é fundamental para a localização dos materiais. Também temos a importante colaboração da Coordenação de  Segurança da Empresa de Correios e Telégrafos (ECT) da Bahia. Os resultados desta operação contribuem para a desarticulação dessa prática criminosa”, detalhou.

As investigações continuam, com o objetivo de identificar e prender os responsáveis pela origem e destino destes materiais.

Todo o material apreendido será enviado para a perícia no Departamento de Polícia Técnica (DPT).

Fonte: Correio 24 horas