Ondas de calor aumentam os sintomas de dermatite e impactam outras doenças

Foto : Getty Images

 

Uma nova onda de calor atingiu parte da Bahia e de outros 14 estados brasileiros na última quinta-feira. De acordo com o histórico do estado, o fenômeno está mais concentrado na região Oeste, onde temperaturas acima dos 40ºC eram esperadas para este final de semana. Outros pontos do país tiveram novos recordes de calor este ano, como o Rio de Janeiro com seus 42,6ºC.

Além de prejudicar a qualidade de vida da população, o calor excessivo tem um grande impacto no quadro de algumas doenças crônicas. Uma delas é a dermatite atópica (DA), uma patologia que provoca inflamação na pele, resultando em feridas e coceira, além de enfraquecer a barreira cutânea. Em pacientes com DA, a pele fica tão sensível que o seu suor pode ser um agente irritante.

A dermatologista Naíla Nunes, professora do curso de medicina da Unifacs ressalta a tendência do paciente com dermatite atópica ter uma pele mais ressecada, além de maior risco de sofrer desidratação, devido à perda de água pela transpiração excessiva. “Ele acaba entrando num ciclo vicioso que interfere bastante na qualidade da sua pele, que é tão sensível”, alerta.

“Como é uma patologia considerada crônica, o paciente precisa entender que ele tem que se cuidar mesmo quando está bem, não só quando ele está com alguma dermatite em atividade, alguma lesão cutânea com mais coceira. O tratamento de manutenção também é super importante para melhorar essa função de barreira cutânea, então ele precisa fazer uso de hidratantes adequados”, esclarece.

 

 

C0m informações do Portal A Tarde.

 

 



Veja mais notícias no blogdovalente.com.br e siga o Blog no Google Notícia