Homem morre em padaria no Rio e estabelecimento continua aberto até corpo ser recolhido

Um homem em situação de rua morreu em uma padaria em Ipanema, no Rio de Janeiro, e teve o corpo coberto com um plástico preto até que fosse recolhido cerca de duas horas depois. O estabelecimento funcionou normalmente até o corpo, cercado por cadeiras, ser removido por uma equipe da Defesa Civil. O caso foi contado por Joaquim Ferreira dos Santos, ontem (30), em crônica publicada no jornal O Globo.

Segundo o jornalista, a morte súbita do homem ocorreu por volta das 8h da última sexta-feira (27). “O homem morto no chão da padaria era o mesmo que todo dia entrava para pedir que lhe pagassem um café com pão e manteiga. Era um mendigo. Andava desaparecido, dizem que em tratamento contra a tuberculose”, escreveu.

De acordo com o jornal Extra, o homem, identificado como Carlos Eduardo Pires de Magalhães, de 40 anos, tinha tuberculose em estágio avançado e teria entrado na padaria para pedir ajuda, esperando que alguém ligasse para o Samu.

*M1