Mais de 280 mil se inscrevem após nova oportunidade no ENEM

Mais de 280 mil se inscrevem após nova oportunidade no ENEM
Foto: Divulgação Inep

Entre os dias 14 e 26 de setembro, 280.145 isentos que não compareceram ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 se inscreveram na edição 2021. Durante esse período, essas pessoas tiveram uma nova oportunidade de realizar a inscrição. Nesses casos, as provas serão aplicadas nas mesmas datas do exame para Pessoas Privadas de Liberdade ou sob medida socioeducativa que inclua privação de liberdade (Enem PPL): 9 e 16 de janeiro de 2022. A isenção da taxa de inscrição também está assegurada a esse público.

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) formalizou o cronograma e os critérios de inscrição para esse público, por meio de edital complementar do Enem 2021 impresso, publicado no Diário Oficial da União (DOU) de 14 de setembro. O anúncio da medida ocorreu no dia 13 do mesmo mês, em comunicado divulgado no portal oficial do Instituto. Durante o período de inscrições, o Inep também recebeu as solicitações de atendimento especializado.

Nome social – O prazo para solicitar tratamento por nome social termina às 23h59 desta segunda-feira, 27 de setembro. A opção é destinada a quem se identifica e quer ser reconhecida socialmente em consonância com sua identidade de gênero.

Aplicação mantida – O Inep aplicará as provas do Enem 2021 normalmente, nos dias 21 e 28 de novembro, para todos os participantes que tiveram a inscrição confirmada no prazo previsto, conforme os editais do exame. Ao todo, 3.109.762 pessoas tiveram as inscrições confirmadas para essa aplicação. O número corresponde ao total de participantes das duas versões do exame (impressa e digital). São 3.040.871 inscritos para a versão em papel. Já para a modalidade digital, que teve as 101.100 vagas ofertadas preenchidas durante o período de inscrições, foram confirmados 68.891 participantes.

Enem – O Exame Nacional do Ensino Médio avalia o desempenho escolar dos estudantes ao término da educação básica. Ao longo de mais de duas décadas de existência, tornou-se uma das principais portas de entrada para a educação superior no Brasil, por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e de iniciativas como o Programa Universidade para Todos (ProUni), ambas ações do Ministério da Educação (MEC).

Instituições de ensino públicas e privadas utilizam o Enem para selecionar estudantes. Os resultados são usados como critério único ou complementar dos processos seletivos, além de servirem de parâmetros para acesso a auxílios governamentais, como o proporcionado pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

Os resultados individuais do Enem também podem ser usados nos processos seletivos de instituições portuguesas que possuem convênio com o Inep para aceitarem as notas do exame. Os acordos garantem acesso facilitado às notas dos estudantes brasileiros interessados em cursar a educação superior em Portugal.

Com informações Inep e Ministério da Educação