Novo ensino médio: veja o que muda em 2022

As mudanças no ensino médio serão aplicadas gradualmente, e deverão ser feitas por escolas públicas e privadas

Foto: Jefferson Peixoto

A proposta que institui o Novo Ensino Médio foi aprovada em lei no ano de 2017 e entra em vigor ainda em 2022. Vale ressaltar que as alterações previstas serão aplicadas de maneira gradativa até 2023.

Em resumo, a etapa referente aos 3 últimos anos da educação básica, ganhará um novo intuito a partir deste ano letivo. Neste sentido, até então o ensino médio é visto como uma espécie de preparação para o ensino superior, todavia, agora o olhar estará mais atrelado ao mercado de trabalho.

Dentre as novidades previstas no projeto, o ensino médio ganhará uma nova grade curricular e um aumento relevante de horas letivas, de modo que ao final do ano o aluno terá cumprido 1.000 horas de estudo, 200 horas a mais que o modelo anterior.

Mudanças no ensino médio 2022

Previamente, cabe destacar que as alterações valem para todas as instituições públicas e privadas. Veja o que muda:

Alterações na grade curricular  

Uma das mudanças previstas que mais chamou atenção foi a nova grade curricular. Isto porquê, agora as matérias serão dividas em áreas do conhecimento, modelo utilizado no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), por exemplo. A medida entra em vigor ainda em 2022.

Para uma melhor visualização, confira as referidas áreas do conhecimento e quais matérias do antigo modelo cada uma delas engloba:

Vale ressaltar que as disciplinas serão trabalhadas de maneira integrada na sala de aula, de modo que duas áreas distintas poderão ser relacionadas. Ademais, esta grade curricular será correspondente a 60% das horas letivas correspondentes aos três anos.

Contudo, somente os conteúdos referentes à língua portuguesa e matemática estarão presentes em todos os três anos que compõem o ensino médio.

Em relação aos outros 40%, esta parte será composta pelos itinerários formativos, sendo aulas optativas que atravessam um aprofundamento em alguma área do conhecimento ou na formação técnica/profissional.

Conforme a legislação, cada escola deve oferecer, ao menos, duas opções para o estudante. Estes itinerários serão responsáveis por 1.200 horas dividas nos três anos do ensino médio.

Nova carga horária 

Em resumo, as horas letivas irão aumentar, de modo que se antes o aluno passava, em média, 4 horas por dia na sala de aula, agora este período passará a ser de 5 horas diárias.

Desta maneira, para cada ano do ensino médio, o estudante terá cumprido com 1 mil horas letivas. Neste cenário, ao final dos três anos, totalizará 3 mil horas letivas, o que dá 600 horas a mais que o antigo modelo.

Cabe salientar que a lei não diz exatamente quantas horas devem ser presenciais ou remotas. No entanto, 30% do ensino no período noturno e 20% do diurno poderá ser a distância.

Orientação para objetivos futuros 

Por fim, mais uma grande novidade diz respeito ao batizado Projeto de Vida. Este, basicamente, consiste em uma orientação direcionada ao aluno, cujo intuito é fazê-lo entender suas aspirações e o que ele deseja para o seu futuro.