Sem verba, UFRJ pode encerrar atividades em agosto, alerta reitoria

A UFRJ diz não ter como pagar as contas de água e luz, além de manter serviços de limpeza e segurança a partir de setembro.

egundo Consuni, ao bloquear orçamento da UFRJ, governo “escolhe sacrificar a educação”
Foto: Reprodução
A Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) corre o risco de fechar as portas. Aulas presenciais, estudos relacionados a varíola do macaco e Covid-19, além do funcionamento de unidades de saúde, podem ser interrompidos como consequências do corte de verbas anunciado pelo governo federal para as instituições de ensino superior de todo país.
O Conselho Universitário (Consuni), órgão máximo da Universidade Federal do Rio de Janeiro, repudiou os recentes cortes e contingenciamentos realizados pelo governo federal contra a UFRJ.

“Com mais esse corte, a UFRJ não tem verba para seguir funcionando, pagando as contas de água e energia elétrica, contratando serviços de segurança e limpeza, fazendo manutenções mínimas e adotando medidas de prevenção de incêndio, após agosto deste ano. Além disso, esse bloqueio impede a ampliação de políticas de assistência estudantil durante esse ano, que hoje se demonstram urgentes tendo em vista principalmente a característica socioeconômica atual do corpo estudantil das universidades”, diz trecho da moção.

Ainda segundo o Consuni, o bloqueio representa “uma opção política, num contexto de recordes de arrecadação em que o governo escolhe sacrificar a educação, a ciência e a tecnologia para ajustar-se ao Teto de Gastos, preservando seu orçamento secreto”.

As informações são do Conselho Universitário da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Veja mais notícias no blogdovalente.com.br e siga o Blog no Google Notícias