Talibã decapita manequins por violação a uma lei islâmica

Talibã decapita manequins por violação a uma lei islâmica
Foto: reprodução

Em novo ato extremista, o grupo fundamentalista islâmico Talibã ordenou que comerciantes cortem as cabeças dos manequins de suas lojas. A ação ocorre em Herat, no oeste do Afeganistão.

O motivo decorre de uma interpretação mais radical da lei islâmica Sharia, na qual se entende que são proibidas as representações humanas de todos os tipos. Dessa forma, os manequins são vistos como uma violação. Em 1990, quando o grupo assumiu pela primeira vez o governo do país, várias estátuas históricas foram destruídas pela mesma razão.

As imagens que revelam o processo de decapitação das “bonecas” viralizaram nas redes sociais. Na publicação, um homem aparece usando uma serra para remover a cabeça dos manequins.

“Pedimos aos comerciantes que cortassem as cabeças dos manequins porque é contra a sharia [lei islâmica estrita]”, pronunciou Aziz Rahman, chefe do Ministério de Promoção da Virtude e Prevenção do Vício.

“Se eles apenas cobrirem as cabeças ou taparem o manequim, o anjo de Alá não entrará na loja ou em sua casa para abençoá-los”, acrescentou Rahman.

*Metrópoles