Índice de aprovação de Trump sobe para 44%, o mais alto de sua presidência

O índice de aprovação do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, subiu para 44%, o mais alto desde que chegou à Casa Branca, segundo uma pesquisa divulgada neste domingo (7) pelo jornal “The Washington Post” e a emissora “ABC”.

O levantamento mostra que 44% dos americanos aprovam o trabalho de Trump na Casa Branca, o que representa um aumento em relação a abril, quando o índice era de 39%.

Já 53% dos americanos desaprovam o governo do presidente. Em abril, eram 54%.

Para 65% dos entrevistados, Trump atua de maneira imprópria para um presidente. Apenas 28% afirmaram que ele se comporta de maneira “adequada e apropriada” para o cargo.

A maioria dos americanos (51%) tem uma opinião positiva sobre as medidas que Trump tomou para a economia do país, que apresenta bons índices e está em um cenário próximo do pleno emprego. Já 42% desaprovam a condução econômica, uma queda em relação aos 46% registrados em abril.

Quando perguntados sobre quanto crédito o presidente merece pelo cenário econômico positivo, 47% dos entrevistados responderam que “uma boa parte”, enquanto 48% afirmaram que “só um pouco” ou “quase nada”.

Os Estados Unidos vivem um momento de sólida expansão econômica, com uma taxa anual de crescimento de 3,1% no primeiro trimestre de 2019, uma aceleração em relação à expansão de 2,2% registrada no trimestre anterior.

Em relação à política fiscal, Trump recebeu aprovação de 42% dos americanos.

A economia é a única área em que o presidente americano foi avaliado positivamente pela maioria dos entrevistados. Nas outras oito áreas, como saúde e imigração, o republicano foi mais reprovado do que aprovado.

Mais da metade dos americanos desaprovam a gestão de Trump em imigração, aborto, violência relacionada às armas, saúde e “assuntos de especial preocupação para mulheres”. Na área de política externa, 55% dos americanos têm uma opinião negativa sobre as decisões do presidente.

A pesquisa foi realizada por telefone entre os dias 28 de junho e 1º de julho, com a participação de 1.008 adultos e margem de erro de 3,5%.

*G1