Cachoeira: cenário se repete e tio e sobrinho podem disputar novamente prefeitura

 

o município de Cachoeira, no Recôncavo Baiano, o mesmo cenário do ano de 2016 deve se repetir na eleições de 2020: o atual prefeito, Tato Pereira (PSD), e o sobrinho dele, Carlos Pereira (PP), podem disputar novamente a prefeitura da cidade.

Tato foi prefeito de Cachoeira por dois mandatos consecutivos, entre os anos de 2004 e 2011, quando ainda era do PSDB, e teve as gestões elogiadas, na época, o que lhe garantiu o terceiro mandato em 2016.

Já Carlos, também foi prefeito de Cachoeira entre os anos de 2012 e 2015, mas desistiu de concorrer à reeleição em 2016, segundo ele, por “motivos familiares e políticos”.

Segundo apuração feita pelo BNews, moradores da cidade estão “cansados” da hegemonia da família Pereira na cidade, por isso, há também a possibilidade da candidatura do atual vice-prefeito, Gevaldo Simões (PTB), no lugar de Tato, ou da vereadora Cristina Soares (PSB), que atua na oposição e pode pegar carona na popularidade de Fabíola Mansur (PSB), deputada estadual mais votada na cidade nas eleições de 2018.

Há também a possibilidade de candidatura do vereador Enio Cordeiro (DEM); da presidente do Sindicato Trabalhadores Rurais, Eliana Gonzaga (PRB); e do advogado Jadson Luiz (Avante), que foi candidato ao cargo de deputado federal nas eleições de 2018.

Apoio – Analisando o cenário das eleições de 2018, a deputada estadual Fabíola Mansur (PSB), a mais votada na cidade, já descartou a possibilidade de concorrer à prefeitura. Em segundo lugar ficou o deputado estadual Alan Castro (PSD), que pode representar um forte apoio a Tato, em parceria com o deputado federal mais votado, Manassés (PSD).

O BNews tentou contato com Tato e Carlos Pereira, mas não teve êxito.