Pré-candidatos, Genival Deolino e Dr. Leonel destacam saúde e geração de empregos como maiores prioridades em SAJ

O povo santoantoniense vai ter muitas opções para escolher o gestor para o município. Mais um nome surge na disputa eleitoral. Desta vez é o empresário Genival Deolino que falou sobre as propostas para o município caso seja eleito. Numa entrevista ao radialista Léo Valente, no Programa Levante a Voz da Rádio Andaiá, na manhã desta sexta-feira (14), Genival destacou sua vontade de retribuir o que recebeu da cidade. Candidato pelo PSDB e com apoio do deputado federal Adolfo Viana, Deolino afirma estar preparado para a disputa eleitoral, “Já me sinto estruturado, tenho uma equipe muito competente, muitos amigos vêm solicitando, apoiando, eu vi que o momento é esse. Tenho bom relacionamento com todos os grupos, queremos criar, talvez, um novo grupo com a adesão da maioria das pessoas dos outros grupos”, disse. Para ele, as prioridades no seu governo serão nas áreas da saúde, geração de emprego, educação básica e esportes. “Vamos avaliar as experiências que deram certo nas outras prefeituras, trazer pessoas capacitadas e criar um conselho de no máximo dez pessoas”, pontuou.  Contra a reeleição, Deolino entende que o gestor não consegue trabalhar no segundo mandato como foi no primeiro, “Quando o gestor entra no início pensa em fazer trabalho pensando na reeleição e isso acaba prejudicando o próprio governo dele. Por mais que Rogério tenha feito, tenho certeza que ele não vai conseguir repetir o que fez, porque sabemos que a ênfase é mais no primeiro mandato. Prefiro até que aumente para 5 ou 6 anos, desde que não tenha reeleição”, salientou. Possível candidato, Dr. Leonel Cafezeiro participou da entrevista pontuando a necessidade de mudar o rumo que a cidade está tomando, “Estamos preocupados com o desenvolvimento de Santo Antônio de Jesus e não com rótulos de grupos. Não queremos apenas criticar, mas fazer diferente. Entendemos que não temos inimigos e sim adversários que podemos conversar”, explicou. De acordo com ele, seu retorno para a política não é por vingança, mas por estar incomodado com a atual situação do município, “Meu nome está colocado, mas eu posso ser candidato na chapa ou nem mesmo ser candidato. Na atual gestão são pequenas coisas que são feitas e mal feitas, o povo é para ser respeitado e não enganado. Santo Antônio de Jesus está sustentando um projeto regional de poder, ou seja, tem gente de outras cidades ocupando cargos aqui”, finalizou.