Maia diz que visita de secretário de Trump a RR ‘afronta’ tradição da política externa brasileira

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), criticou nesta sexta-feira (18) a visita do secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, às instalações da Operação Acolhida em Roraima, na fronteira do Brasil com a Venezuela.

Para o deputado, a presença de Pompeo no local às vésperas da eleição presidencial nos Estados Unidos não “condiz com a boa prática diplomática internacional” e afronta as políticas brasileiras externa e de defesa. Durante a visita, Pompeo disse que os EUA vão “tirar” Nicolás Maduro da presidência da Venezuela.

“A visita do secretário […], no momento em que faltam apenas 46 dias para a eleição presidencial norte-americana, não condiz com a boa prática diplomática internacional e afronta as tradições de autonomia e altivez de nossas políticas externa e de defesa”, disse Maia em nota.

O deputado acrescentou que, por ser presidente da Câmara, sentia-se na “obrigação” de destacar que a Constituição Federal prevê que o Brasil oriente suas relações internacionais pautado nos princípios de independência, da autodeterminação dos povos, da não-intervenção e da defesa da paz.

“O Barão do Rio Branco deixou-nos um legado de estabilidade em nossas fronteiras e de convívio pacífico e respeitoso com nossos vizinhos na América do Sul. Semelhante herança deve ser preservada com zelo e atenção, uma vez que constitui um dos pilares da soberania nacional e verdadeiro esteio de nossa política de defesa”, afirmou Rodrigo Maia no documento.

Reunião com venezuelanos

Em Roraima, o secretário do governo Donald Trump se reuniu com o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, para, segundo a embaixada norte-americana, discutir a imigração venezuelana. A reunião seria parte de uma agenda de encontros com lideranças latino-americanas.

Na capital Boa Vista, Pompeo provocou aglomeração durante visita ao Posto de Identificação e Triagem da Operação Acolhida.

Ele também se encontrou com uma família de venezuelanos que vive em um local destinado a imigrantes.

A Operação Acolhida é uma força-tarefa humanitária que coordena abrigos e processos de interiorização de venezuelanos que entram no Brasil por Roraima. O trabalho é feito desde março de 2018 pelo Exército, agências da ONU, organizações não governamentais e pela Polícia Federal.

Nota

Leia a íntegra da nota de Rodrigo Maia:

A visita do Secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, nesta sexta-feira, às instalações da Operação Acolhida, em Roraima, junto à fronteira com a Venezuela, no momento em que faltam apenas 46 dias para a eleição presidencial norte-americana, não condiz com a boa prática diplomática internacional e afronta as tradições de autonomia e altivez de nossas políticas externa e de defesa.

Como Presidente da Câmara dos Deputados, vejo-me na obrigação de reiterar o disposto no Artigo 4º da Constituição Federal, em que são listados os princípios pelos quais o Brasil deve orientar suas relações internacionais. Em especial, cumpre ressaltar os princípios da: (I) independência nacional; (III) autodeterminação dos povos; (IV) não-intervenção; e (V) defesa da paz.

Patrono da diplomacia brasileira, o Barão do Rio Branco deixou-nos um legado de estabilidade em nossas fronteiras e de convívio pacífico e respeitoso com nossos vizinhos na América do Sul. Semelhante herança deve ser preservada com zelo e atenção, uma vez que constitui um dos pilares da soberania nacional e verdadeiro esteio de nossa política de defesa.

Fonte: G1