Eleições 2020: Quase metade dos candidatos vetados pelo TSE são acusados de crimes de corrupção

Dos 14.598 que tiveram a candidatura indeferida pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), quase metade foi barradas por conta de algum crime de corrupção. Enquanto em 2016 a Lei da Ficha Limpa foi o principal motivo para vetar as candidaturas, um levantamento feito pelo SBT News mostrou que 40% dos candidatos impedidos de participar das Eleições 2020 é acusada de atos corruptos.

A pesquisa foi baseada nos dados até a última sexta-feira (23) nas estatísticas oficiais do TSE site oficial do TSE. Do universo total de 555.903 políticos, pouco mais de 2% foram barrados nas urnas a três semanas das eleições.  Entre as 3.600 candidaturas com documentação e partidos regularizados, 1.504 foram consideradas inaptas por violação da Lei da Ficha Limpa (1.480), gasto ilícito de recursos (18) ou compra de voto (6).

A Justiça Eleitoral corre contra o relógio para cumprir o prazo de até segunda-feira (26). No pleito de 2016, após a conclusão dos julgamentos, o principal motivo de cassação ou indeferimento de candidatura dos 11.320 políticos com registros, siglas e coligações regularizadas foi a Lei da Ficha Limpa, com 2.116 impugnações.