Bolsonaro dá posse a João Roma para a Cidadania e Onyx para Secretaria Geral

Bolsonaro deu posse aos seus novos ministros em cerimônia no Palácio do Planalto, em Brasília. Na foto, ele está com João Roma

O presidente Jair Bolsonaro deu posse ao deputado João Roma (Republicanos-BA) como ministro da Cidadania e de Onyx Lorenzoni, que era o titular da pasta, como secretário-geral da Presidência. Ambos já estavam nomeados aos cargos desde 12 de fevereiro.

A cerimônia de posse foi realizada na tarde desta 4ª feira (24.fev.2021) no Palácio do Planalto, em Brasília.

Onyx agradeceu os servidores que trabalharam com ele na formatação de programas sociais, como o auxílio emergencial. “Roma vai herdar um cadastro único verdadeiro”, se referindo aos 127 milhões de pessoas que estão na lista do governo.

“O retorno ao Palácio do Planalto será com a mesma garra de sempre. Quem conhece a minha história sabe que foram muitos anos de luta contra estrago que a esquerda fez no nosso país. Tenho orgulho de fazer parte desta transformação.”

O comando da Secretaria Geral estava vago desde a nomeação de Jorge Oliveira para o Tribunal de Contas da União em dezembro de 2020. Pedro Marques estava ocupando interinamente a função.

No discurso de posse, Roma disse que não deixará ninguém desamparado. “A área social e econômica são duas faces de uma mesma moeda. Cidadania é levar o Brasil para cada brasileiro e seguir aspirando a compartilhar o melhor com todos os patrícios”.

Ele se tornou ministro por um arranjo político do Palácio do Planalto depois da eleição de Arthur Lira (PP-AL) para a presidência da Câmara. O partido de Roma, o Republicanos, apoiou o então candidato – preferido pelo governo.

Roma era próximo ao presidente do DEM, ACM Neto, com quem trabalhou na prefeitura de Salvador. Isso fez com que atores políticos afirmassem que a indicação foi um consórcio entre Republicanos e DEM.

ACM Neto diz que trabalhou contra a nomeação de Roma. Nos bastidores, o republicano dizia que não poderia deixar de assumir um cargo no governo federal por causa de suas “virtudes“.

Abaixo, leia como ficou o 1º escalão do governo com as mudanças:

QUEM É JOÃO ROMA

João Inácio Ribeiro Roma Neto, 48 anos, é deputado federal de 1º de mandato, eleito pela Bahia com 84.455 votos. Na Câmara, relatou, entre outras proposições, a PEC (proposta de emenda à Constituição) 438/18, que muda a chamada regra de ouro –que proíbe que o governo se endivide para pagar despesas cotidianas, como folha salarial, programas sociais e manutenção de órgãos públicos.

QUEM É ONYX

Onyx Dornelles Lorenzoni, 66 anos, é deputado federal pelo 5º de mandato, eleito no Rio Grande do Sul, estando atualmente licenciado do cargo.

Foi ministro de Estado Extraordinário, nomeado por Michel Temer para coordenar a equipe de transição para o governo de Bolsonaro em 2018. no qual foi ministro-chefe da Casa Civil e ministro da Cidadania.

Iniciou a gestão Bolsonaro como ministro-chefe da Casa Civil. Em 13 de fevereiro de 2020 o presidente anunciou a transferência de Onyx da Casa Civil para o Ministério da Cidadania.

Em 12 de fevereiro de 2021, saiu do cargo de ministro da Cidadania e para assumir a Secretaria Geral da Presidência da República, que estivera vago desde a nomeação de Jorge Oliveira para o Tribunal de Contas da União em dezembro de 2020.

Acusado de caixa 2 em campanhas eleitorais, ele reconheceu a irregularidade e firmou acordo de não-persecução penal com a Procuradoria Geral da República. O ministro Marco Aurélio, do STF (Supremo Tribunal Federal), homologou o pacto, que prevê o pagamento de R$ 189.145,00 como multa.

Poder360