Caiado diz que decisão do DEM na Câmara foi para evitar ruptura do partido

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), disse nesta segunda-feira (1/2) que a decisão do partido de abandonar o bloco de apoio a Baleia Rossi (MDB-SP) organizado pelo presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e anunciar neutralidade na disputa pelo comando da Casa foi “madura” e para “resguardar a própria estrutura do partido”.

“Nesse momento, em que existe um risco de ruptura, já que ninguém conseguiu maioria no partido, o partido tem que se resguardar”, declarou ele, após participar da posse do novo presidente do Tribunal de Justiça de Goiás (TJGO), em Goiânia.

Caiado destacou que os deputados, agora, estão liberados para escolher o próprio candidato. Nas últimas semanas, no entanto, especulou-se sobre as articulações do governador nos bastidores, junto aos deputados federais de Goiás, para favorecer a candidatura de Arthur Lira (PP), que é o candidato apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro.

Questionado sobre a posição dele em relação a isso, Caiado disse que não cabe a ele interferir na eleição de outros poderes. “O momento em que eu entrei em ação foi quando a discussão tornou-se partidária. Participei da reunião da executiva do partido ontem à noite, como membro que sou, e não vi outra decisão mais balizante para o momento que não fosse manter o distanciamento de qualquer uma das candidaturas”, alegou.

Fonte: Metrópoles