Lula sobre Moro: Não é porque o jogo foi anulado que o juiz não deve ser suspenso

Apesar de ter suas condenações anuladas em processos no âmbito da Operação Lava Jato – o que lhe garante a condição de estar elegível para qualquer cargo nas eleições de 2022, o ex-presidente Lula deseja que o ex-ministro do governo Bolsonaro Sérgio Moro seja “suspenso” pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Mas depois da decisão do ministro Edson Fachin, do Supremo, de anular suas condenações, Lula teria revelado a aliados, contudo, que não tem muita expectativa de que Moro ser considerado suspeito pela Corte.

Ao deputado federal Alexandre Padinha (PT-SP), ex-ministro da Saúde no governo Dilma Rousseff, Lula disse que “não é porque o jogo foi anulado que o juiz não deve ser suspenso”. Padilha conversou com o ex-presidente por telefone na segunda-feira (8), segundo a coluna Painel, da Folha de São Paulo.

À coluna, ele disse que, com o início da vacinação contra a Covid-19 de pessoas da faixa etária de Lula na semana que vem em São Paulo e a anulação das condenações, o ex-presidente deve voltar ao jogo político em breve.

“Ele estava aliviado e feliz. Disse que os processos tomavam muito tempo dele e que agora ele vai poder usar para outras coisas. A vacinação da faixa etária dele [75 anos] vai começar na semana que vem em São Paulo, então ele estava animado com isso. Como ele está bem isolado e se cuidando na pandemia, não tem recebido pessoas. Ontem [segunda] mesmo disse que não receberia ninguém para não se arriscar. Com a vacina ele poderá voltar ao jogo político em algumas semanas, começar a receber pessoas. Até brinquei que, se ele tomar a Coronavac, terá sido liberado por Fachin e ‘vachina’”, disse Padilha, médico, ironizando o apelido pejorativo dado à vacina por apoiadores do presidente Jair Bolsonaro.

O ex-ministro disse que Lula “está consciente” de que a recuperação de seus direitos políticos mexe no tabuleiro político, inclusive no campo dos seus opositores. E que o ex-presidente afirmou que deseja trabalhar pela construção de uma frente de oposição a Bolsonaro ao lançar mão de imagem futebolística: quer entrar em campo, mas não precisa ser ele o autor do gol.

*Bahia.Ba