Por unanimidade, TCU inocenta Dilma Rousseff por prejuízo com compra de Pasadena

Foto: Leonardo Fernandes/Brasil de Fato

O plenário do Tribunal de Contas da União (TCU) decidiu ontem (14) que a ex-presidente Dilma Rousseff e outros ex-conselheiros da administração da Petrobras não são responsáveis pelo prejuízo causado pela compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos. A decisão foi unânime.

Com a deliberação, foram inocentados também o ex-ministro Antônio Palocci e os conselheiros Fábio Colleti Barbosa, Claudio Luiz da Silva Haddad e Gleuber Vieira.

De acordo com a avaliação do TCU, os conselheiros realizaram a aquisição da empresa de acordo com dados recebidos pela diretoria executiva da Petrobras. O tribunal, então, a responsabilizou pelo prejuízo causado pela operação.

“Lá, se encontra bem delineado que não cabe ao Conselho a administração cotidiana das empresas, esta é responsabilidade da diretoria executiva”, afirmou o relator, Vital do Rego. Foram considerados culpados o ex-presidente da estatal, Sergio Gabrielli, além dos ex-diretores Almir Barbassa, Guilherme Estrella, Ildo Sauer, Renato Duque e Nestor Cerveró.

A refinaria foi comprada em 2006 por US$ 750 milhões, quando o maior valor aceitável seria de US$ 297 milhões. O prejuízo calculado, considerando o câmbio atual, é de R$ 2,5 bilhões.

 

*M1