Leonelli critica cúpula do PT e diz que ‘manobra’ na chapa beneficia ACM Neto

Leonelli
 

Ex-secretário e membro da Executiva nacional do PSB, Domingos Leonelli criticou, nesta terça-feira (1º), a cúpula do PT pela “manobra” na chapa ao governo da Bahia, e afirmou que a alteração beneficia o pré-candidato ACM Neto (União Brasil).

Em uma publicação no Facebook, Leonelli lembra que a formação inicial da chapa governista era Jaques Wagner (PT) disputando o governo da Bahia, o senador Otto Alencar (PSD) brigando pela reeleição, e o PP indicando o seu postulante a vice-governador.

Wagner desistiu de concorrer, e o Otto deve substituí-lo na cabeça na majoritária. O governador Rui Costa (PT) deve renunciar no início de abril para ser candidato a senador.

“Um governador (Rui Costa), um ex-governador (Jaques Wagner) e um ex-presidente (Lula) são os donos do destino político da Bahia ? E pela eventual volta da direita ao Governo do Estado?”, questionou. “Por enquanto quem está ganhando com a implosão da chapa majoritária PT-PSD-PP que concorreria às próximas eleições na Bahia, é o jovem candidato da Arena-PDS- PFL- DEM-União Brasil, ACM Neto”, acrescentou.

Leonelli declarou ainda que Rui Costa deveria permanecer no governo por uma “necessidade política dada a força da candidatura de ACM Neto”. Também criticou a falta de diálogo na base petista.

“Ressalte-se aqui o bom senso e a dignidade do senador Otto Alencar que, pelo menos inicialmente, resistiu a essa manobra que o levaria a uma candidatura para a qual não se preparou nem desejava. E embora tenha sido todos esses anos um firme aliado da esquerda no Senado,deve saber que ao disputar o governo, o primeiro argumento dos adversários será o de que a disputa se dará entre o velho ‘carlismo’ representado por ele e o novo carlismo representado por ACM Neto”, acrescentou.

Para Leonelli, a “operação” do PT na Bahia prejudica a formação de uma federação entre o Partido dos Trabalhadores e o PSB.

“Esse comportamento da cúpula do PT joga água no moinho dos que estão contra a formação da Federação que uniria as esquerdas ,exatamente com o argumento do hegemonismo do PT. Eu uso o argumento contrário : se já estivéssemos organizados numa federação a cúpula do PT teria muito mais dificuldade para tomar uma atitude tão desrespeitosa e autoritária”, emendou.

*Bahia.Ba