Diretora médica esclarece sobre os óbitos de recém-nascidos ocorridos na Maternidade Luiz Argolo

No último final de semana foram notificados três óbitos de recém-nascidos no Hospital e Maternidade Luiz Argolo. Após denúncias sobre o ocorrido, a diretora médica da Santa Casa Dra. Jussara Argolo apresentou esclarecimento em entrevista à Rádio Andaiá.  Segundo a Dra., não há procedência dos fatos.

“Nós tivemos um recém-nascido que foi a óbito 01h05 da manhã. Era um bebê que já estava internado há 21 dias, com cardiopatia e microcefalia, aguardando regulação há 21 dias e a regulação não saiu. infelizmente ele veio a óbito aguardando atendimento em Salvador. Os outros dois óbitos – um é uma gestante que já veio com ultrassonografia de feto morto, só pra fazer a cirurgia, do município de Jaguaripe. E a outra gestante, de Conceição do Almeida, chegou com pressão alta, o bebê  ao nascer, nasceu morto. Então não foram bebês recém-nascidos, foram natimortos – bebês que já nasceram mortos”, explicou.

De acordo com a Dra. Jussara Argolo, o caso do bebê com microcefalia não há nenhuma relação com a atual epidemia causada pelo mosquito Aedes Aegypti. “Não. A mãe não tem relato. Nós fizemos a triagem, essa criança não tinha só microcefalia, ela tinha outras deformidades congênitas, a microcefalia era apenas uma dela”, esclareceu.

Na oportunidade, a Dra. Jussara Argolo ressaltou ainda que os casos registrados não configuram um grande percentual diante dos dados notificados na maternidade. “no mês de fevereiro nós tivemos 311 partos e 5 óbitos na Santa Casa, sendo que dos 5, três foram natimortos e duas dessas crianças foram óbitos, por insuficiência respiratória. Então de 311, só dois óbitos, não acho que seja um percentual tão grande a ponto de ter uma denúncia de excesso de óbito. As pessoas antes de falar alguma coisa, o correto é procurar se informar“, aconselhou.

(Viviane Silva/Blog do Valente)