Estudo Livre Especial promovido pela IMDI CardioCenter e Oncocenter marca abertura do Outubro Rosa

Na última quinta-feira (01), o Estúdio Livre Especial Outubro Rosa promovido pela IMDI Cardio Center e Oncocenter marcou a abertura da campanha de conscientização contra o câncer de mama. Participaram do debate o mastologista Dr. Luciano Ramos, o oncologista Dr. João Neiva, Sandra, do Amigas do Peito, e o radiologista  Dr. Marcelo Hassan. “Estamos muito felizes em participar mais uma vez desta campanha para que a gente possa informar a população da importância do tema, que é prevenção do câncer de mama”, disse Dr. Luciano.
De acordo com Dr. Luciano, o Inca estima que aproximadamente 66 mil mulheres serão acometidas com novos casos de câncer de mama em 2020, por isso a necessidade do trabalho de prevenção. “É uma patologia muito incidente e que leva a morte de muitas pessoas, mas é uma doença que tem cura”, explicou o médico, enfatizando ainda a necessidade de uma alimentação saudável e da prática de exercícios físicos, além dos exames de rotina e o autoexame.
Os exames de rotina são essenciais para prevenção da doença. “O papel da mamografia e da  ressonância magnética associado a ultrassonografia é imprescindível para que a gente consiga detectar esses casos de forma cada vez mais precoce”, explicou Marcelo Hassan.
O trabalho de prevenção deve ser durante todo o ano. “A campanha vem consolidar o que fazemos durante todo o ano. Nossa campanha começa em outubro e termina em setembro”, ressaltou o médico João Neiva.
Na oportunidade, Sandra falou dos trabalhos realizados pela Amigas do Peito, explicando que  as palestras serão realizadas por lives e, infelizmente, não poderá ser feita a caminhada que é realizada todo ano por causa do coronavírus.
Celebrado há mais de 20 anos, o Outubro Rosa de 2020 tem um significado especial e um peso ainda maior diante da pandemia de Covid-19, que aflige a humanidade nos quatro cantos do planeta. A prevenção ao câncer de mama e o diagnóstico precoce da doença, principais bandeiras da época, se depararam com um inimigo invisível que manteve milhões de pessoas trancadas em suas casas com medo, principalmente, de ir ao médico.
A importância da ida anual ao ginecologista é algo que praticamente todas as mulheres ouvem desde a adolescência, porém, um estudo feito em 2019 pela Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo) em parceria com o Datafolha, mostrou que cerca de 5,6 milhões de mulheres não seguem esta rotina.
Durante a pandemia, esse acompanhamento foi ainda mais negligenciado. Segundo um levantamento realizado pela Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) em centros hospitalares que atendem pelo Sistema Único de Saúde (SUS) houve uma queda de 75% nos atendimentos a mulheres em rastreamento ou tratamento de câncer de mama entre março e abril, em comparação ao mesmo período de 2019.
Assista vídeo completo:
https://www.facebook.com/169388693107493/videos/3371394832949672