Pacheco diz que plano do Brasil é aplicar 2 milhões de doses por dia em maio

Foto : Reprodução/Governo Federal

O presidente do Senado e do Congresso Nacional, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), disse nesta segunda-feira (5) à CNN que o Brasil deve chegar em maio com uma média diária de duas milhões de doses de vacinas contra a Covid-19 aplicadas no país. Segundo Pacheco, a meta está nos planos estruturados pelo comitê de enfrentamento à doença que foi formulado pelo presidente Jair Bolsonaro.

O foco agora, diz Pacheco, é a ampliação da capacidade vacinal para que em abril a média diária de doses aplicadas fique em um milhão, para que então ela seja dobrada no mês seguinte.

“Isso nos trará um enfrentamento condizente com o tamanho do problema, para o tamanho da crise, pela gravidade da doença, que mudou suas características, de um vírus que veio mais forte em 2021 e que e que precisa de um contragolpe tão forte quanto.”

A fala do ministro acontece no mesmo dia em que a Fiocruz reduziu a previsão de entrega da vacina de Oxford/AstraZeneca para o mês de abril. A previsão do Ministério da Saúde era receber 21,150 milhões de doses feitas no laboratório Bio-Manguinhos, mas a nova divulgação fala em 19,7 milhões de doses até o fim do mês.

O presidente do Congresso também disse que há “boas perspectivas de que tenhamos vacinas suficientes, no decorrer do ano de 2021, para toda a população brasileira”, mas não deu mais detalhes.

Pacheco ressaltou que a coordenação do comitê é responsabilidade do presidente Jair Bolsonaro, e não dele, e fez um apelo público para que o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, tenha autonomia e liderança para estabelecer os protocolos sanitários necessários para o enfrentamento da pandemia.

“O coordenador técnico, que precisa ser ouvido à luz da saúde e da ciência, é o ministro da Saúde, doutor Marcelo Queiroga, que tem seu protocolo e tem sido muito feliz em suas abordagens de enfrentamento e dos aconselhamentos dados à população brasileira”, afirmou o senador.

Fonte: CNN