Secretária fala de cursos para área de tecnologia e inovação na Bahia; confira

tecnologia
 

A Secti lançou no último ano mais de 30 mil vagas em cursos de tecnologia e inovação para baianos e baianas.

O Programaê, por exemplo, capacita jovens e adultos que se interessem na área de programação de sistemas. A iniciativa prevê equalizar com velocidade a pluralidade de habilidades do futuro, de forma a reduzir a evasão de profissionais baianos qualificados, a atração de novos talentos e a capacitação de até 50.000 pessoas até dezembro de 2022, destinadas para um mercado que possui um déficit de 408 mil profissionais de TI até 2022.

Já o Empoderada, são cursos voltados para mulheres que querem empreender na área tecnológica. Favorece o protagonismo feminino com disponibilização de 5 mil bolsas gratuitas em cursos ligados à área de tecnologia e mentoria de carreira para mulheres de toda a Bahia.

Com o apoio das secretarias de Políticas para as Mulheres (SPM), Promoção da Igualdade Racial (Sepromi) e Educação (SEC) e da startup Womakers Code, a missão do programa é inspirar e impulsionar meninas e mulheres que desejem ingressar ou se especializar em carreiras ligadas à tecnologia e inovação.

Ambos são gratuitos e online e podem ser acessados pelo site da Secti para obter mais informações detalhadas sobre o conteúdo dos cursos.

– Centelha 2

O edital Centelha, que será lançado no próximo dia 9 de março, irá selecionar e financiar propostas de empresas de base tecnológica nascentes do Estado da Bahia. A Secti fará um importante trabalho de indução ao empreendedorismo inovador, com apoio de mais de 80 mil para cada empresa selecionada. Serão 50 empresas selecionadas em toda a Bahia.

– Espaços Dinamizadores

Os espaços compartilhados especializados visam inspirar ideias através do convívio contínuo e conjunto dos diversos atores do Ecossistema e, sobretudo, transformá-las em negócios rentáveis com escala global.

Também promove a integração da sociedade e entes de governo, de empresas e Instituições de Ciência e Tecnologia locais, bem como a transferência de tecnologia, o impulsionamento da inovação e, consequentemente, o desenvolvimento regional.

A Bahia constrói a maior rede de ambientes de empreendedorismo e inovação do Brasil. Os espaços dinamizadores, semelhantes aos habitats de inovação, nominados como: Pensar (espaço lúdico voltado para ideação de crianças e adolescentes), Colaborar (Coworking), Fazer (Maker Space), Inovar (Living Lab), são voltados ao estímulo, à ideação e ao trabalho colaborativo.

Os ambientes são configurados para seus objetivos e equipados com diversos equipamentos, como monitores, TV LED, mesas de trabalho, câmera para videoconferência, câmera infravermelho, home theater, console videogame, impressoras 3D, dentre outros.

Os computadores levam software Open Source (Endless) com diversos aplicativos para área educacional, robótica, games. Com previsão de entrega em 24 cidades dos territórios do Estado da Bahia, a Secti já inaugurou os Espaços Colaborar em Irecê, Salvador (Parque Tecnológico e Pelourinho), Alagoinhas, Caetité, Cruz das Almas, Santo Antônio de Jesus, Amargosa, Itaparica, Jacobina e Ilhéus. Previsto ainda, 4 Espaços Fazer (Camaçari, Feira de Santana, Salvador e Jequié) e 3 Espaços Pensar (Pilão Arcado, Irecê a Alcobaça).

– Espaços Inovar

O primeiro laboratório vivo do Norte e Nordeste está instalado na Bahia. Batizado de Espaço Inovar, seu principal objetivo é transformar o Parque Tecnológico em um ambiente para o desenvolvimento e experimentação de soluções que apoiem a implantação do conceito de Cidades Inteligentes em municípios baianos.

Este laboratório servirá como local de partida para o desenvolvimento, demonstração e avaliação de soluções inovadoras que tornem possível alcançar a visão de Cidades Inteligentes e tragam benefícios para o cidadão.

– Praças da Ciência

A Praça da Ciência tem promovido e incentivado o conhecimento científico de maneira lúdica e interativa para desenvolver a curiosidade de crianças e adolescentes. Em 2021, a Secti implantou duas praças em escolas baianas, no município de Jussiape, com o objetivo de popularizar a ciência no ensino básico, contemplando o programa Ciência na Escola. Os equipamentos educativos instalados são: bicicleta científica, pêndulo humano, tubos musicais, gangorra científica, alavanca, concha acústica e poço infinito.

Com a implantação dos equipamentos educativos que compõem a Praça da Ciência, o estudante aprende na prática o que é ensinado nas salas de aula. Serão contempladas seis escolas estaduais, com aporte de investimento de emenda parlamentar e contrapartida do governo do Estado em parceria com o MCTI.