CNBB pede ação contra deputado que chamou arcebispo e Papa de “vagabundos”

CNBB pede ação contra deputado que chamou arcebispo e Papa de "vagabundos"
Foto: reprodução

Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) cobrou da Alesp (Assembleia Legislativa de São Paulo) “medidas internas eficazes, legais e regimentais” contra o deputado estadual Frederico D’Avila (PSL-SP).

Durante sessão na 5ª feira (14.out), D’Avila chamou o arcebispo Dom Orlando Brandes, a CNBB e o papa Francisco de “vagabundos”, “safados”, “canalhas” e “pedófilos”. No texto, a CNBB cita “o ódio descontrolado do parlamentar” e diz que espera ações para que o “ultrajante desrespeito seja reparado em proporção à sua gravidade”.

O deputado citou o discurso do arcebispo durante a missa de 3ª feira (12.out) em Aparecida (SP), quando Brandes declarou que “pátria amada não pode ser pátria armada”. A frase foi dita antes de uma visita de Bolsonaro ao local. D’Avila acusou o arcebispo de estar mandando “recadinho” ao presidente.

Na carta, a CNBB também disse que “tratará esse assunto grave nos parâmetros judiciais cabíveis”. A entidade afirmou que “as ofensas e acusações proferidas pelo parlamentar -protagonista desse lastimável espetáculo- serão objeto de sua interpelação para que sejam esclarecidas e provadas nas instâncias que salvaguardam a verdade e o bem”.

 

*Reportagem Poder 360