O DEM vive fuga de grandes representantes

Nós ouvimos durante o carnaval o senador ACM Júnior,  aquele que herdou a vaga do pai.  Aliás, é a segunda vez que o senador herda a vaga do pai por suplência.   Na ocasião perguntávamos ao senador a opinião dele sobre a saída de Paulo Souto do DEM, como vai ficar o partido depois da perda dessa grande liderança.  Dizem que José Ronaldo também deve deixar o partido e ambos já estariam de malas prontas para o PSDB. O que estaria provocando essa debandada de expressivos representantes do antigo PFL? Seria por acaso a percepção de que políticos ligados a esse partido estariam com a imagem desgastada em nosso estado?  O DEM, que durante décadas foi governo e manteve os chamados “currais eleitorais” na maior parte da Bahia estaria vivendo um desmantelamento?  De qualquer forma, podemos também analisar que na política, como na natureza, nada se perde, tudo se transforma. É bem possível que a saída de grande nomes do carlismo para outra legenda siginifique um novo período para a representação política baiana.   Quem viver verá.