Salvador investiu R$ 575 mi em 2020, mas tem déficit de R$ 260 mi por conta da pandemia

Foto: USP Imagens

Secretário municipal da Fazenda (Sefaz), Paulo Souto apresentou à Comissão de Finanças, Orçamento e Fiscalização da Câmara de Vereadores o relatório fiscal de Salvador relativo ao segundo quadrimestre deste ano. A apresentação aconteceu nesta sexta-feira (25), em audiência pública.

 

O titular da pasta destacou que, apesar do déficit fiscal de R$ 260 milhões, decorrente da pandemia, a ser coberto pelas reservas de recursos próprios do município, a prefeitura investiu R$ 575 milhões, até agosto, em obras de implantação e requalificação de infraestrutura urbana.

Ainda de acordo com Souto, a capital baiana recebeu R$ 416 milhões de recursos oriundos do governo federal. Foram gastos R$ 388 milhões no combate ao novo coronavírus, dos quais R$ 201 milhões em ações de saúde, a exemplo da ampliação de leitos exclusivos, e R$ 60 milhões em ações de assistência social, como o auxílio de R$270 do programa Salvador por Todos para o setor informal.

A diferença que gerou o déficit de R$ 260 milhões aconteceu por conta de uma perda de R$ 288 milhões em receitas, no comparativo com o mesmo período do ano passado.

Em números totais, até o segundo semestre, Salvador registrou uma receita total de R$ 4,953 bilhões, com R$ 4,273 bilhões em despesas, o que representa um superávit de R$ 684 milhões e um superávit orçamentário de R$ 647 milhões. Apurou-se um resultado primário de R$ 87 milhões para uma meta de (-) R$ 461 milhões e um resultado nominal de R$ 112 milhões para uma meta de (-) R$ 406 milhões.