Final de semana mais violento do ano tem 15 homicídios em Salvador e RMS

O jovem Wagner Santana Bispo da Silva, 19 anos, era balconista de uma padaria em um turno e, no outro, trabalhava em um lava-jato na Boca do Rio. Seu desejo era seguir a carreira militar. Em dezembro passado foi convocado pelo Exército e se apresentaria em um batalhão nesta segunda-feira, 25. O sonho do rapaz, no entanto, foi interrompido. Wagner e outras 14 pessoas foram assassinadas entre o sábado e o domingo, nesse que já é o final de semana mais violento de 2021 em Salvador e na Região Metropolitana (RMS).

No sábado (23), foram quatro homicídios, e no domingo (24), 11 pessoas tiveram suas vidas abreviadas pela violência. Os dados são dos boletins diários das ocorrências policiais, à disposição no site da Secretaria de Segurança Pública (SSP). No primeiro final de semana do ano (dias 2 e 3) foram 7 assassinatos. No segundo (9 e 10 de janeiro), o número de mortos já saltou para 13. Já no terceiro final de semana de 2021 (dias 16 e 17) foram 8 pessoas mortas.

A maioria dos assassinatos dos dias 23 e 24 ocorreram em Salvador. Foram 8 só na capital, Wagner entre elas. Ele foi morto no sábado, na Boca do Rio. O rapaz havia parado em um bar para falar com amigos quando traficantes chegaram atirando aleatoriamente. Ele correu e acabou baleado nas costas.

Entre os casos registrados na RMS, duas pessoas foram mortas no domingo na cidade de Candeias, entre elas o vereador André Luiz Ferreira de Araújo (PP), conhecido como Júnior CCA. Ele foi o quinto mais votado na última eleição e estava em seu primeiro mandato. Foi morto com vários tiros dentro de um bar por um homem que chegou ao bairro Sarandi em uma moto. A mulher dele também foi baleada e está internada no Hospital do Subúrbio. Outras três pessoas teriam sido feridas.

Em relação aos assassinatos neste final de semana, a Secretaria da Segurança Pública informou que a Polícia Civil investiga os casos e que, aqueles relacionados ao tráfico de drogas, receberão atenção especial. “Ressaltamos ainda que o combate às facções continua sendo prioridade, haja vista que a maioria das mortes tem relação com a venda de entorpecentes”, diz a nota.

No domingo, 24, um suspeito de ter matado Wagner Santana Bispo da Silva foi preso pela Polícia Militar (PM). A informação foi confirmada na noite de ontem ao BATV, telejornal da Rede Bahia, pelo major Macedo, da 39ª Companhia Independente da PM.

Segundo o major, que foi responsável por socorrer Wagner para o hospital após o rapaz ser baleado, dois homens foram presos no domingo, em Mussurunga, e um deles seria suspeito de ter matado o adolescente. Os nomes dos suspeitos detidos não foram revelados pelo policial, que acrescentou ainda que a guarnição apreendeu duas armas junto com os homens.

Nesta segunda-feira, 25, a Boca do Rio amanheceu com cartazes e faixas com pedidos de justiça. Na Estrada do Curralinho, a pouco metros da 9ª Delegacia, parentes e amigos de Wagner bloquearam a via com pneus. Eles protestaram pela morte brutal do rapaz.

“Era o meu filho mais velho, meu orgulho. Hoje ele estaria se apresentando no Exército, o que mais queria”, lamentou o pai do rapaz, Walmir Bispo da Silva Filho, 38 anos.

Segundo ele, o filho saiu de casa, na Rua da Tranquilidade, para comprar uma cerveja em um bar na Rua Georgina, na localidade de Baixa Fria, por volta das 21h do sábado. Ao chegar no local, havia um aniversário e ele parou para cumprimentar os amigos. Foi neste momento que surgiu um grupo de homens armados com pistolas. Eles começaram a revistar algumas pessoas e, num determinado momento, sem motivo aparente, um bandido atirou duas vezes para o alto.

“Nessa hora todo mundo ficou em pânico. Todo mundo correu para se proteger e ele fez a mesma coisa. Correu para a casa do vizinho, que fica ao lado do bar e foi baleado duas vezes nas costas e caiu em frente ao portão. Nem deu tempo de socorrer”, contou o tio de Wagner, o segurança Ramires Santos, 45.

O tio lembrou o quanto o rapaz era querido. “Todo mundo aqui gostava dele. Menino trabalhador. Pela manhã era balconista numa padaria. À tarde, dava duro num lava-jato. Quando soubemos da notícia que de ele ia servir no Exército, eu e outros tios já tínhamos decidido pagar o curso preparatório dele para o concurso da PM, caso fosse dispensado depois pelo Exército. E agora ele se foi”, lamentou o tio.

Ainda durante o protesto, moradores disseram que os homens armados eram traficantes da localidade do Cajueiro, onde atua a facção Bonde do Maluco (BDM). Eles atacaram a Baixa Fria, reduto da facção Comando da Paz (CP). A Polícia Civil infomou apenas que o caso está com a 1ª DH/Atlântico, que apura a autoria e motivação.

O corpo de Wagner foi enterrado sob forte comoção e aplausos, por volta das 14h desta segunda-feira, 25, no Cemitério Municipal de Brotas. O enterro foi marcado pela presença de muitos amigos e familiares que queriam prestar suas últimas homenagens. Quem convivia com o rapaz se recusava a acreditar na perda tão violenta. Muitas pessoas passaram mal e tiveram que ser amparadas.

Anderson Souza, de 34 anos, era amigo da vítima e consolava quem precisava de um amparo, dizendo que era preciso ter forças e erguer a cabeça. Ele lamentou a interrupção de uma vida de forma tão precoce.

“Uma pessoa de bem, que morava com a mãe e o pai, ajudava a família e sustentava também a casa. Nunca se envolveu com nada, a família sempre deu uma boa educação. Agora é preciso ter forças para seguir em frente”, disse.

Vereador

Eleito com mais de 1.048 votos no último pleito municipal, o vereador André Luiz Ferreira de Araújo (PP), o Júnior CCA, foi assassinado com vários tiros dentro de um bar, no domingo, 24, no bairro de Sarandi, em Candeias (RMS). O autor do crime, foi um homem que chegou em uma moto usando uma pistola de pente alongado, comumente usada por soldados do tráfico.

Nesta segunda-feira, 25, a prefeitura de Candeias decretou três dias de luto oficial. Nas redes sociais, a prefeitura escreveu que “a cidade perde um líder político, que tinha em seu perfil a juventude, o caráter, a coragem e a busca incessante pelo bem-estar da população candeense”.

O crime aconteceu na Rua da Paz, a ‘Faixa de Gaza’ de constantes confrontos entre as facções BDM, que atua em Sarandi, e Ordem e Progresso, presente nos bairros de Santo Antônio, Nova Candeias e Dom Avelar. Na manhã de ontem, testemunhas contaram à reportagem que, por volta das 20h, Júnior CCA chegou com a mulher ao bar, onde todos os domingos tem um partido alto. O local fica em frente à casa do vereador.

Ele e a mulher estavam na frente do bar, junto com outras pessoas, quando instantes depois, um homem usando capacete desceu da moto a uma certa distância e começou a atirar na direção do vereador, que correu para dentro do estabelecimento, mas foi atingido. O criminoso também entrou no bar, indo atrás da vítima para efetuar mais disparos.

“Tentaram impedir a entrada do homem armado, mas a porta não tem trinco e ele entrou assim mesmo. Não tinha como ninguém fazer nada. O cara foi para o fundo, puxou o vereador pela camisa e disse: ‘eu só quero ele’. E começou a atirar”, contou uma estemunha que estava também no bar e acabou se ferindo na correria. Ela tem o nome preservado por segurança.

A mulher de Júnior CCA também foi atingida e socorrida para o Hospital José Mário dos Santos (Ouro Negro) em Candeias e, posteriormente, transferida para o Hospital do Subúrbio. Outras três pessoas, uma estava no bar e outras duas passavam na hora, também foram atingidas e socorridas para o hospital da cidade. Não há informações sobre o estado de saúde dos feridos.

A testemunha acredita que o vereador pode ter sido morto por um homem ligado ao tráfico de drogas. Um boato que circula na cidade dá conta de que vítima teve apoio de uma facção da cidade para se eleger e que o fato o colocou na mira da outra organização criminosa.

Em outubro de 2020, um mês antes das eleições municipais, Júnior CCA prestou queixa na 20ª Delegacia Territorial (DT/Candeias), em função de áudios que circularam nas redes sociais e o associavam ao tráfico de drogas.  Júnior CCA é filho de um empresário do ramo de alimentação, dono do restaurante CCA. A Polícia Civil informou apenas que o caso será apurado pela 20ª Delegacia (Candeias)

O corpo dele foi velado no Plenário da Câmara Municipal de Candeias e enterrado nesta segunda-feira, 25. Quem deve assumir o cargo deixado por André Luiz é a primeira suplente do PP, partido do prefeito, Rita Loira, hoje secretária

Um tiroteio no Imbuí, na noite de domingo, 24, assustou moradores. Segundo uma das residentes no bairro, foi possível escutar três tiros por volta das 23h. Eles foram acompanhados de gritos de desespero e barulho de carros acelerando.

Segundo a Polícia Civil, dois tiros atingiram Lucas Souza Araújo, de 29 anos, que veio a óbito. Os disparos foram feitos dentro de um bar, ao lado da Barraca do Zurca, na Praça do Canal. Houve muita correria no local.

Uma testemunha, que preferiu não se identificar, relatou que Lucas estava com mais um homem e uma mulher. Segundo o relato, a vítima se envolveu em uma briga, por conta de ciúmes. Um homem que estava no bar teria abordado a mulher que acompanhava Lucas, dando início à confusão que provocou os disparos.

De acordo com a 39ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM), na noite do crime, o Centro Integrado de Comunicações (Cicom) acionou policiais militares da unidade após informações de disparos de arma de fogo. No local, a guarnição localizou a vítima, isolou a área e acionou a equipe responsável pela perícia e remoção do corpo. A Polícia Civil investigará o crime.

*Correio