Em greve, caminhoneiros autômomos impedem saída de contêineres no Porto de Salvador

Foto: A Tarde

Os motoristas que transportam contêineres no sistema portuário na Região Metropolitana de Salvador estão em greve desde a última terça-feira (23). Os trabalhadores reivindicam um reajuste no valor do frete. Na manhã deste domingo (28), a categoria decidiu manter a paralisação.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Caminhoneiros Autônomos do Estado da Bahia (Sindicam-BA), Jorge Carlos, com o preço atual, a margem de lucro que fica para o caminhoneiro, por viagem, é muito baixa. “Estamos pedindo reposição de perdas desde 2018. Na época foi feito um acordo e as transportadoras não cumpriram e estão irredutíveis”, disse Jorge que se reuniu com os trabalhadores no Porto da capital baiana.

Por meio de nota, o Sindicam-BA estabeleceu algumas medidas para retorno ao trabalho, como: reajuste dos fretes em 22,09%; pagamento de horas paradas a partir das 5 horas de franquia; exclusão como forma de pagamento de viagens em óleo diesel; revisão de valores de alguns destinos que estão em desacordo; inclusão de rotas e valores a serem praticados; prazo de pagamento (acordado em 2018 10dd) o que não está sendo cumprido; acordar um % para quando houver aumento no diesel ter uma reposição do aumento; estipular reunião anual entre as partes (Sindicam x Seteceb).

Ainda segundo o Sidicam-BA, desde a terça nenhum conteiner foi carregado ou coletado no Porto, com exceção das cargas com insumos relacionados à Covid-19.

*BNews