Bolsonaro recua e diz que pode comprar vacina chinesa Coronavac

O presidente Jair Bolsonaro afirmou ontem (12), durante transmissão ao vivo, que há a possibilidade de autorizar a compra da vacina Coronavac, produzida pela farmacêutica chinesa Sinovac com o Instituto Butantan, ligado ao governo de São Paulo. Entretanto, a compra não seria feita pelo preço que um “caboclo aí quer”.

“Quem vai decidir sobre a vacina no Brasil: Ministério da Saúde, obviamente, e depois a certificação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Da minha parte, havendo a vacina, comprovada pela Anvisa e pelo Ministério da Saúde, a gente vai fazer uma compra”, afirmou o presidente. “Mas não é comprar no preço que um caboclo aí quer. Está muito preocupado um caboclo aí que essa vacina seja comprada a toque de caixa. Nós vamos querer uma planilha de custo”, completou.

Nas últimas semanas, uma disputa política foi travada entre o governador de São Paulo, João Doria, e o presidente em torno da Coronavac. Após o ministro Eduardo Pazuello anunciar a compra de 46 milhões de doses da vacina, Bolsonaro desautorizou a ação.

*M1