Mortes por covid-19 podem aumentar na Bahia nas próximas semanas, alerta secretário de saúde

A campanha eleitoral no Brasil pode ser apontada como vilã na alta de contaminações por coronavírus. Segundo especialistas, o movimento de políticos nas ruas pedindo votos, aliado aos planos de relaxamento da quarentena definidos pelos governos, contribuíram para que os hospitais em todo o Brasil voltassem a registrar aumento de internações.

Na Bahia, o secretário estadual de saúde, Fábio Vilas Boas disse que os atos políticos durante as campanhas eleitorais ocasionaram no crescimento no número de casos da doença no território baiano. Segundo o gestor, o mesmo fenômeno ocorreu em outros estados.

“Com as carreatas, com as festas, a população não conseguiu se desmobilizar da forma como se mobilizou e esses fenômenos pré-eleitorais foram responsáveis por alavancar isso em todo o país. Nós vimos acontecer em São Paulo, no Paraná, no Espírito Santo, no Rio de Janeiro e aqui na Bahia já temos uma semana, indo para duas semanas de aumentos sucessivos de casos ativos, do número de casos notificados e do número de testagens no Laboratório Central do Estado e de notificações por parte dos municípios”.

Neste domingo (29), o estado registrou 11.255 casos ativos da Covid-19, maior número desde 29 de agosto em que eram contabilizados 12.8299 pacientes com o vírus ativo.