Mortos por Covid na Bahia é maior que população de 50% das cidades do Estado

Foto: Romildo de Jesus / Tribuna da Bahia / Arquivo

De acordo com a Secretaria estadual de Saúde (Sesab), o número de mortes pela Covid-19, aqui na Bahia, ultrapassou a marca de 17 mil pessoas – 17.134 mais precisamente (os dados foram recolhidos até meados da tarde de ontem). A quantidade de óbitos, por si só, já chama atenção. No entanto, analisando por outro viés, o total de falecimentos por causa da doença é maior do que a população de 50% dos municípios do estado, individualmente. Ou 210 das 417 cidades.

Por aproximação, o município que mais se avizinha desse número, para menos, é Adustina, localizada na região Nordeste da Bahia e próximo à divisa com o estado de Sergipe. A cidade tem, de acordo com a estimativa populacional referente ao ano de 2020, do Instituto Nacional de Geografia e Estatística (IBGE), 17.126 habitantes. No “horizonte”, que deve ser ultrapassado já neste final de semana estão os municípios de Conceição do Almeida (Recôncavo baiano), com 17.165 habitantes; Condeúba (sudoeste), com 17.187 pessoas; e Central (norte), com 17.280 habitantes.

Contudo, o rastro de mortes causado pelo novo coronavírus já deixou pra trás, e muito, municípios que, mesmo pequenos, são conhecidos do público baiano no geral. O que dizer de Piatã, na Chapada Diamantina, considerada a cidade mais fria da Bahia? Por lá, são 16.984 moradores, segundo a estimativa de 2020 do IBGE. E que tal Canudos, município do nordeste baiano que ficou famoso pelas lutas dos homens liderados por Antônio Conselheiro, mas que acabaram dizimados pelo Exército Brasileiro? Por lá, atualmente, vivem 16.753 pessoas.

Nesse rol, ainda podemos incluir cidades históricas e turísticas como Salinas das Margaridas (baixo-sul da Bahia), com uma população de 15.862; São Félix (Recôncavo baiano), com 14.762 pessoas; e Lençóis, considerada o portal da Chapada Diamantina, que atualmente possui 11.499 moradores. Vale lembrar que a menor cidade da Bahia, em população, é Maetinga, na região sudoeste, com 2.764 pessoas, o que equivale a 16% da quantidade total de mortes pela covid-19 até agora no estado.

Expandindo um pouco mais, se for levado em conta o número de mortes pela Covid-19, em todo o Brasil – que estava até meados da tarde de ontem na casa dos 365 mil – essa população que perdeu a batalha para a doença só ficaria atrás, em total de pessoas, aqui na Bahia, para as registradas nas cidades de Salvador (2,886.698 pessoas) e Feira de Santana (619.609 habitantes). Ou, em grau aproximado, a soma da população dos municípios de Lauro de Freitas, na Região Metropolitana de Salvador, com 201.635 pessoas, e Teixeira de Freitas, no extremo-sul da Bahia, que tem 162.438 habitantes.

Ontem, de acordo com a Sesab, o estado registrou mais 134 óbitos pela Covid-19, chegando aos 17.134 falecimentos. Salvador é o município que ocupa o primeiro lugar no ranking estadual, com 5.547 mortes (32,7% do total).