Pegar Covid duas ou mais vezes ao ano pode ser comum, diz estudo

 Apesar do aumento dos casos de reinfecção, a tendência é de que não tenhamos uma onda de mortes e hospitalizações como as vistas nos últimos dois anos por conta do alto número de pessoas com ao menos duas doses da vacina
Pegar Covid duas ou mais vezes ao ano pode ser comum, diz estudo
Foto: BBC

A predominância da ômicron como variante dominante em todo o mundo faz com que seja cada vez mais comum que as pessoas tenham Covid-19 duas ou mais vezes dentro do período de um ano. É o que indica um estudo conduzido por especialistas na África do Sul em artigo publicado na revista científica “Science”.

Os cientistas analisaram quase 3 milhões de testes positivos de laboratório registrados até janeiro deste ano. Com as variantes anteriores, casos de reinfecção eram pouco comuns, mas a partida de outubro do ano passado, a pesquisa localizou indivíduos que tiveram até três casos de reinfecção.

No recente estudo africano, as reinfecções foram verificadas em intervalos menores: 90 dias (três meses).

“A culpada foi a variante ômicron, que surgiu rapidamente, com múltiplas mutações na proteína spike. A principal vantagem dessa variante é sua capacidade de evitar a imunidade adquirida naturalmente (por infecção anterior)”, apontam os pesquisadores.

No entanto, apesar do aumento dos casos de reinfecção, a tendência é de que não tenhamos uma onda de mortes e hospitalizações como as vistas nos últimos dois anos por conta do alto número de pessoas com ao menos duas doses da vacina, parte com três e idosos até mesmo com quatro doses.  As vacinas que temos hoje protegem contra casos graves da Covid, mas não contra a infecção.