Em Nova York, José Carlos Aleluia diz que pressão fez Dilma adotar discurso cauteloso

O deputado federal José Carlos Aleluia (DEM-BA) afirmou nesta terça-feira (22) que a pressão do Congresso e do Supremo Tribunal Federal (STF) fez a presidente Dilma Rousseff adotar uma postura mais cautelosa em seu discurso na sede da ONU, em Nova York. O parlamentar baiano e o também deputado Luiz Lauro Filho (PSB-SP) também foram até a cidade americana para acompanhar o pronunciamento. Segundo a Folha de S. Paulo, os custos da viagem foram bancados pela Câmara. “Discurso de Dilma acabou sendo ponderado, dentro do que se espera de um chefe de Estado. Reflexo da pressão que sofreu de nossas instituições. STF pressionou, Congresso pressionou e Dilma acabou por recuar. Não deixa de ser mais um sinal de que democracia tem funcionado muito bem”, escreveu o democrata em sua conta no Twitter. Ele também se reuniu com manifestantes contra o governo, que realizaram um ato perto da sede da ONU, e disse que vai conceder entrevistas a veículos nacionais e internacionais. Em seu discurso na sede da ONU, Dilma não se aprofundou na crise política brasileira, restringindo-se a dizer que “nosso povo saberá impedir quaisquer retrocessos”. Aleluia conseguiu credenciamento para acompanhar o pronunciamento de dentro da sede da ONU. No Twitter, ele afirmou que “impeachment não é retrocesso”.  (Bahia Notícias)