Atriz santoantoniense está no elenco de Sertânia, um dos três filmes favoritos a disputar a vaga brasileira no Oscar

Santo  Antônio de Jesus tem uma filha atuando no Cinema Nacional. Estamos a comentar da jovem Sara Galvão, integrante do elenco do filme baiano Sertânia, de Geraldo Sarno, que está entre os três filmes que despontam como franco favoritos na disputa por vaga brasileira ao Oscar internacional.

Além de atriz, Sara é apresentadora e repórter, mestre em Mestre em Teatro – Artes Performativas: Interpretação, pela Escola Superior de Teatro e Cinema do Instituto Politécnico de Lisboa (Portugal) e graduada em Comunicação Social- Jornalismo, pela Faculdade de Comunicação da Universidade Federal da Bahia.

Com mais de 15 anos de carreira, a santoantoniense já atuou em projetos de teatro, cinema, publicidade e televisão com nomes como Guti Fraga, Henrique Tavares, Geraldo Sarno, Silvana Moura, dentre outros. Atualmente, é repórter do Programa Soterópolis da TVE Bahia, apresentadora de transmissões AO VIVO (Baile Bahia Real Masqué, Concha Negra, Rock Concha, dentre outros) e de projetos especiais (Melhores Momentos do Carnaval 2019 e 2020), da mesma emissora.

Atualmente, por conta do trabalho, Sara não mora em Santo Antônio de Jesus, mas toda sua família permanece na cidade. Em entrevista ao Programa do Valente desta quinta-feira (10), ela contou uma pouco de sua trajetória. “Eu digo que já nasci atriz. Aqui em Santo Antônio mesmo, eu já demonstrava muita vocação para as artes, lembro, inclusive, de uma apresentação no Clube dos 100. Então, posso dizer que estreei aqui em Santo Antônio como atriz, aos 10 aos de idade”, recordou.

Sara já dirigiu um espetáculo na capital do Recôncavo, que foi apresentado na fachada da prefeitura municipal. O Natal do menino Salvador era o nome da peça teatral.

Sertânia é inteiramente construído em preto e branco.  A crítica de cinema Maria do Rosário Caetano considera o filme um sopro de juventude na trajetória de um veterano, o cineasta Geraldo Sarno (81 anos).  Segundo ela, a obra, um “nordestern” onírico, sem deixar de ser político e social, vem conquistando corações e mentes. Iniciou sua trajetória na Mostra de Tiradentes e vem causando frisson em festivais dedicados à pesquisa de linguagem. Já arregimentou time de defensores dos mais ativos e militantes. No meio da cinefilia brasileira, desconhecer “Sertânia” é estar totalmente out. “O retorno que temos do público é incrível, muito interessante”, disse Sara.

O filme já esteve no Festival de Tiradentes, no Festival Ecrã. “E, agora, recebemos este texto de Maria do Rosário colocando O Sertânia como um dos três favoritos para disputar a vaga brasileira no Oscar. Isso deixa a gente muito orgulhosa”, pontuou.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *