Brasil vence a Argentina e garante vaga nos Jogos Olímpicos de Tóquio

Foto: Ernesto Guzmán Jr./EFE

 

Na hora da verdade, quando era tudo ou nada, o Brasil mostrou, enfim, seu melhor futebol no Torneio Pré-Olímpico e garantiu a classificação para buscar o bicampeonato nos Jogos de Tóquio-2020. Com dois gols de Matheus Cunha e um de Paulinho, a seleção sub-23 venceu a Argentina com autoridade, por 3 a 0, em Bucaramanga, na Colômbia, ficando com o segundo lugar da competição. A Argentina, que já entrou em campo garantida em Tóquio, foi a campeã do Pré-Olímpico. E o Uruguai, que no primeiro jogo da noite venceu a Colômbia, acabou fora da Olimpíada – a equipe Celeste dependia de um tropeço do Brasil para se classificar.

Além de Brasil e Argentina, os representantes da Conmebol, outras 12 seleções já estão classificadas para o torneio de futebol masculino das Olimpíadas: Japão (anfitrião), França, Alemanha, Espanha, Romênia (representando a Europa), Nova Zelândia (da Oceania), Egito, Costa do Marim e África do Sul (representando a África), Arábia Saudita, Coreia do Sul e Austrália (representando a Ásia). Faltam apenas duas vagas para completar os 16 países participantes, que virão do Pré-Olímpico da Concacaf, no fim de março.

O JOGO

A primeira etapa não poderia ser melhor para o Brasil. A nova formação ofensiva deu a mobilidade que faltou nos últimos jogos, e a seleção brasileira conseguiu envolver a marcação argentina. Logo aos 12 minutos, Paulinho lançou Pedrinho, que dominou no peito e tocou no canto direito para fazer 1 a 0. Já classificada, a Argentina pouco ameçava o gol de Ivan. Já o Brasil manteve o bom ritmo, e chegou ao segundo gol aos 29, aproveitando falha incrível do zagueiro Nehuén Pérez, que tentou um recuo de cabeça da intermediária. Matheus Cunha ganhou na velocidade, deu um balão no goleiro Cambeses e teve o chute interceptado em cima da linha por Pérez. Mas a bola sobrou para o próprio Cunha empurrar para o gol vazio.

O maior mérito do Brasil no segundo tempo foi não se acomodar com a vantagem. E antes mesmo que a Argentina esboçasse uma reação, o terceiro gol confirmou que a noite era brasileira. Com inteligência, Guga cobrou um lateral no campo de defesa diretamente para Matheus Cunha no ataque. O camisa 9 tocou para Reinier na área, recebeu de volta e marcou com um chute cruzado.

*Tribuna da Bahia