Ronaldinho afirma a jornal que não sabia de ilegalidade dos documentos

Há quase dois meses preso no Paraguai, o ex-jogador Ronaldinho Gaúcho falou para a imprensa pela primeira vez em uma entrevista no jornal local ABC Color. Nela, Ronaldinho nega que soubesse que eram falsos o passaporte e a identidade com nacionalidade paraguaia que portava quando entrou naquele país. “Ficamos totalmente surpreendidos ao saber que os documentos não eram legais”, declarou. “Foi duro, nunca imaginei que fosse passar por uma situação assim.”

Ronaldinho e o irmão, o também ex-jogador Assis, foram detidos em 4 de março. Os dois passaram 32 no presídio Agrupación Especializada e atualmente cumprem prisão domiciliar no hotel Palmaroga. Ronaldinho ressaltou que espera sair em breve da prisão e retornar ao Brasil.

“Desde que isso aconteceu, nossa intenção foi colaborar com a Justiça para esclarecer isso. Até hoje, explicamos tudo e facilitamos tudo o que a Justiça nos solicitou”. O ex-jogador falou ao ABC Color que viajou a Assunção para participar do lançamento de um cassino on line e de um livro. O MP paraguaio investigar a participação dos dois irmãos em negócios ilegais imputados à empresária Dalia Lopez, que se encontra foragido.

Na entrevista, Ronaldinho também comentou sobre o relacionamento com presos da Agrupación Especializada, onde tirou fotos, deu autógrafos e disputou babas.”Não tinha motivos para não fazer isso, ainda mais com pessoas que estavam vivendo um momento difícil como eu”.

*Bahia.Ba