Defensoria Pública vai contratar estagiários que cumprem medidas socioeducativas

Foto: DP-BA

A Defensoria Pública da Bahia (DP-BA) vai contratar estagiários que cumprem medidas socioeducativas, através de uma parceria com a Fundação da Criança e do Adolescente (Fundac), na tarde desta quinta-feira (21). Inicialmente, serão contratados cinco adolescentes internos da Fundac. O objetivo é criar oportunidades de inclusão social para jovens.

Os jovens estão matriculados no nível médio de ensino da rede pública. Entre os primeiros jovens selecionados a participar do projeto, intitulado “Abraçando Vidas”, está Y.L.S que diz ter o sonho de ser cantora, dançarina e atriz. “A expectativa é muito grande para começar a adquirir conhecimento e amadurecimento. Além de entender mais sobre as leis e os direitos das outras pessoas”, declarou a jovem de 17 anos.

Para o defensor público geral, Rafson Saraiva Ximenes, o projeto demonstra a confiança da Defensoria no potencial dos adolescentes e está de acordo com outra concepção de tratar o tema da segurança pública. “Nós defendemos que segurança pública não se faz com uma cultura da punição, da segregação, com a hostilidade e criação de inimigos. Assim, cabe a nós demonstrar que recepcionamos as pessoas que porventura tenham cometido um erro. Isso porque nós acreditamos que estas pessoas não deixaram de fazer parte da sociedade e precisam ser incluídas, precisam de oportunidades para desenvolver seus potenciais”, afirmou Rafson Ximenes.

Para a defensora pública e coordenadora da especializada dos Direitos da Criança e do Adolescente, Gisele Aguiar, os cinco jovens escolhidos para iniciar o projeto serão os primeiros de muitos que virão. “Estes jovens precisam de oportunidade até mesmo para se descobrirem. Não haverá distinção nenhuma destes jovens com os demais estagiários. Serão tratados e exigidos como todos demais”, afirmou.

Segundo Regina Affonso, diretora-geral da Fundac, a iniciativa da Defensoria é inédita. “Alinhada com a promoção e garantia de direitos, a Defensoria inova no sentido de assegurar aos nossos adolescentes uma oportunidade inédita. É a primeira vez que temos uma ação deste tipo, onde se asseguram direitos para estes jovens lhes garantindo ainda oportunidade. É um gesto de muito significado”, declarou. O termo de acordo terá vigência por 60 meses e prevê que todos os jovens que venham a participar do projeto se inscrevam por vontade própria, além de serem acompanhados no desenvolvimento de suas atividades visando o melhor desenrolar da inciativa e da medida socioeducativa.

*BN