Suspensão do Carnaval afeta camada mais pobre da população, diz Fábio Mota

Suspensão do Carnaval afeta camada mais pobre da população, diz Fábio Mota
Foto: Adriano Villela/bahia.ba

O secretário de Cultura e Turismo de Salvador, Fábio Mota lamentou, nesta quarta-feira (24), a demora na definição para a realização do Carnaval em 2022. Em contato com o bahia.ba, o titular da pasta salientou a importância da festa para a economia soteropolitana.

“Muda muito [caso não tenha o Carnaval]. Estamos falando de R$ 1,8 bilhão que o Carnaval gere. Estamos falando de empregos sazonais. Empregos que são específicos do Carnaval, com camadas da população que têm uma necessidade maior, como cordeiros e ambulantes, a pessoa que costura o abadá, enfim, uma cadeia de serviços. A prefeitura perde muito economicamente com isso e evidentemente a hotelaria também. O setor da hotelaria diz que o Carnaval representa pra eles o 13º salário do ano”, disse.

Nos últimos dias, o prefeito de Salvador Bruno Reis (DEM) voltou a demonstrar interesse em realizar uma reunião com o governador Rui Costa (PT), ainda em novembro, para definir a realização do Carnaval no próximo ano.

“Acima disso tudo está a vida das pessoas. Estamos aguardando a definição dos órgãos de saúde pública, após a conversa do governador com o prefeito, para que a gente possa assim dar sequência ao debate”, completou Mota.

Fonte: Bahia.ba