Florianópolis volta a fechar shoppings e academias após alta dos casos de coronavírus; veja regras

Novas restrições foram anunciadas em decretos municipais pelas prefeituras de Florianópolis, São José, Palhoça e Biguaçu, na Grande Florianópolis, e entram em vigor nesta quarta-feira (24) por 14 dias. Em todas as quatro cidades ficam proibidas aglomerações e é obrigatório uso de máscaras.

Mas é na capital catarinense que as ações são mais duras, com fechamento de shoppings, centros comerciais, academias e quadras esportivas. Em duas semanas a prefeitura deve reavaliar a situação e poderá flexibilizar ou impor novas medidas.

A multa em Florianópolis agora é de R$ 1.250 para quem não usar máscara, podendo chegar a R$ 2,5 mil se for reincidente. O valor é o mesmo para o estabelecimento onde for flagrada a irregularidade. Antes a multa era de R$ 125.

As áreas públicas só podem ser frequentadas em dias úteis. Aos fins de semana, bares e lanchonetes não poderão atender seus clientes nos estabelecimentos, a não ser para retirada do item no balcão. O comércio de rua segue aberto.

Na cidade vizinha de São José, os centros comerciais e shoppings também não poderão abrir, mas só aos domingos. As academias, shoppings, galerias e centros comerciais reabriram em Santa Catarina em 22 de abril, após ficarem mais de um mês também com as portas fechadas em respeito ao decreto estadual de emergência por causa da pandemia do novo coronavírus. Com o novo fechamento na capital, há academia que entregou materiais aos alunos para que eles possam continuar com a rotina de atividades físicas em casa.

As medidas foram tomadas pelos executivos para tentar conter o aumento de casos de Covid-19 na região. Segundo o governo do estado, Florianópolis, Palhoça, São José e Biguaçu têm juntas 2,1 mil diagnosticados, incluindo 19 mortes por coronavírus, sendo que 13 delas são na capital, assim como mais da metades dos casos: 1,1 mil. Em todo estado são 19,2 mil casos de Covid-19 e 263 mortes, de acordo com os dados divulgados na noite de terça-feira (23).

Nos quatro municípios os serviços considerados essenciais continuam funcionando, mas na capital as padarias não podem ter consumo no local e os supermercados só podem atender com 30% da capacidade, sendo proibida ações de promotores de produtos.

O transporte coletivo, que voltou a circular na semana passada no serviço municipal e na segunda (22) no intermunicipal, também segue funcionando, seguindo medidas restritivas que vão do limite de passageiros ao uso de máscaras e higienização constante dos ônibus.

A capital foi a primeira a anunciar as restrições ainda na segunda (22), mas o prefeito Gean Loureiro disse que conversaria com as demais prefeituras da região para que também tomassem medidas, visto que não há limites territoriais visíveis entre as cidades e os ônibus intermunicipais de São José, Palhoça e Biguaçu, assim como de outras cidades da região, entram nos dois terminais de Florianópolis: o Terminal de Integração do Centro (Ticen) e o Terminal Cidade de Florianópolis.

Veja as mudanças em Florianópolis

Ficam fechados por 14 dias:

  • Academias comerciais e não comerciais
  • shopping e galerias
  • arenas de esportes e quadras esportivas comerciais e não comerciais.

Restrições em áreas públicas:

  • Em praias, é proibido permanecer na areia e só é permitido esporte aquático e pesca
  • Só é permitido ir a áreas de lazer, parques, praças e locais como a Avenida Beira-Mar Norte, Beira-Mar Continental e a Ponte Hercílio Luzde segunda a sexta-feira.

Outras medidas em serviços de alimentação:

  • Restaurantes poderão funcionar de segunda a sexta-feira das 11h às 15h. No período noturno e finais de semana, somente por delivery e busca no balcão.
  • bares e lanchonetes podem funcionar até as 18h, com atendimento delivery ou retirada em balcão à noite e fins de semana.
  • padaria:somente serviço de balcão, sem consumo no local
  • supermercados: capacidade máxima reduzida para 30% de ocupação.

Uso obrigatório de máscaras, passível de multa a partir de R$1.250 para pessoas físicas e R$2.500 para os estabelecimentos em caso de descumprimento da regra.

O Procon e as unidades do Pró-cidadão, que haviam retomado os atendimentos presenciais na segunda-feira (22), voltam a atender por e-mail ou site. Serviço público não essencial deve funcionar de forma retoma, seja na esfera municipal, estadual ou federal.

*G1