Racismo: Motoboy é chamado de macaco ao tentar entregar pedido em condomínio de luxo

 

Éder Leandro Rocha, dono de uma hamburgueria, presenciou mais um episódio de racismo com motoboys de aplicativo. O comerciante divulgou as mensagens trocadas com a cliente que fez ofensas racistas e afirmou que vai registrar o caso na Polícia Civil.

A equipe da hamburgueria entrou em contato com o cliente no último domingo (25) para pegar a quadra e o lote exatos, pois o endereço não estava completo. Na troca de mensagens, quando a gerente do estabelecimento pede para a moradora autorizar a entrada do entregador, ela se recusa.

“Esse preto não vai entrar no meu condomínio. Mandar outro motoboy que seja branco”, escreveu a cliente no chat de mensagens.

A gerente nega o pedido da cliente e a moradora do condomínio chama o entregador de macaco. Após a injúria, a gerente diz que não é tolerado racismo na hamburgueria e que o pedido não será entregue. “Adeus. Não uso restaurante judaico”, finalizou a cliente na mensagem.

“Foi a primeira vez que teve um caso assim. No início, achamos que pudesse ser um trote. Nós ficamos muito sem reação, sem saber como falar para nosso entregador na porta o que tinha acontecido. Mas a gente acabou tendo que contar. Ele ficou o resto da noite triste”, revelou o dono do estabelecimento.

Elson Oliveira, motorista que foi entregar o pedido, contou que em 12 anos de profissão nunca tinha passado por uma situação como essa. “Todos são iguais. Dói muito saber que ainda tem gente com capacidade de agir assim com as pessoas”, lamentou ele.

Em nota, o aplicativo Ifood informou que já identificou a usuária e que a baniu da plataforma. “A empresa presta solidariedade ao entregador e está em contato para oferecer apoio psicológico”, informa a nota.