Após ataque de hackers, STJ deve retomar julgamentos na próxima terça-feira

 

O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Humberto Martins, informou que as atividades judicantes devem ser retomadas na terça-feira, 10. O trabalho dos ministros e servidores do STJ foi suspenso nesta semana devido a um ataque hacker ao sistema de informática.

Em nota, o presidente disse que o Sistema de Justiça estará disponível para os ministros, servidores e usuários externos na segunda-feira, 9. A plataforma reúne as funcionalidades do processo eletrônico e dos julgamentos dos colegiados. No dia seguinte, as atividades decisórias serão retomadas.

Humberto Martins também afirmou que o backup dos 255 mil processos que tramitam no STJ foi preservado.

“O STJ segue contando com a colaboração do Comando de Defesa Cibernética do Exército brasileiro e acompanhando, diariamente, a investigação realizada pela Polícia Federal. Todos os dados relativos ao ataque cibernético apurados pela equipe do STJ já foram enviados ao órgão de apuração competente”, informou.

Na terça-feira, 3, os sistemas do STJ foram alvo de um ataque cibernético e a transmissão das sessões de seis colegiados foi interrompida. Os ministros e servidores foram alertados para não utilizarem computadores pessoais ligados ao sistema.

O hacker conseguiu criptografar e bloquear o acesso aos dados do tribunal. No entanto, as informações sobre os processos judiciais, contas de e-mail e contratos administrativos permanecem na íntegra e estão preservadas em um backup. Quinta-feira, 5, o presidente Jair Bolsonaro disse que a Polícia Federal (PF) identificou o autor do ataque ao STJ.

“A Polícia Federal entrou em ação imediatamente. Tive a informação do diretor-geral da PF, Rolando Alexandre, e ele foi elogiado pelo presidente do STJ no que ele conseguiu até agora. Já descobriram quem é o hackeador. O cara hackeou e não conseguiu ficar duas horas escondido”, disse o presidente.

Fonte: Agência Brasil