Vegetação às margens de rodovia ‘escondeu’ carro de irmão desaparecido de Marco Ricca

Operários que trabalhavam em um sítio encontraram o carro do produtor cultural Giuliano Ricca, irmão do ator Marco Ricca, em Santa Isabel, na Região Metropolitana de São Paulo. A área às margens da rodovia Presidente Dutra, segundo a polícia, era de declive acentuado e coberta por vegetação, o que impedia a visualização do veículo à distância.

No banco do motorista havia uma ossada, e exames ainda serão feitos para identificar o vítima. Os testes não têm data para ficarem prontos, mas a família reconheceu objetos que estavam no veículo como sendo de Giuliano.

O produtor desapareceu em 2014, quando quando viajava de São Paulo para o Rio de Janeiro.

O carro estava cerca de 20 metros abaixo da rodovia, no km 192. O trecho é considerado perigoso, e a polícia trabalha com a hipótese de acidente, mas só a conclusão da perícia no veículo vai indicar a causa.

De acordo com o boletim de ocorrência do caso, há dois anos foi construída uma mureta de proteção no trecho, mas só agora o veículo foi encontrado.

Os estragos na lataria indicam o capotamento do carro, um veículo modelo SUV. O caso foi registrado na delegacia de Arujá como morte suspeita.

Segundo a polícia, não foi possível recolher elementos que indiquem a causa da morte observando a ossada ainda no local. A mata que crescia dentro do carro indica que ele estava no local havia bastante tempo.

Exames

No veículo estavam um celular, cartões bancários em nome de Giuliano Ricca e uma mala de viagem com roupas. Um irmão do produtor cultural esteve na delegacia de Arujá e reconheceu os objetos como sendo de Giuliano.

A ossada foi levada para o Núcleo de Antropologia do Instituto Médico Legal (IML), na capital paulista, para exames. O IML informou que não há prazo para os resultados.

“Tudo ainda é preliminar, e a ossada já passou por um primeiro exame. Novas perícias serão feita pelos médicos legistas do Núcleo de Antropologia. O trabalho é por fases, primeiro passa pela Antropologia para confirmar se, de fato, tem indicação técnica para, se for o caso, encaminhar material para análise de perfil genético”, informou o instituto.

Fonte: G1