Bolsonaro diz ter ‘afinidade’ com príncipe saudita e recomenda encontro a mulheres

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) comentou o encontro com o príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman, e recomendou que mulheres se encontrem com a autoridade árabe. “Todo mundo gostaria de passar a tarde com um príncipe. Principalmente vocês, mulheres, né?”, disse. O comentário foi feito na manhã desta terça-feira (29) a jornalistas, na saída do hotel onde está hospedado em Riad, capital da Arábia Saudita, para uma série de compromissos oficiais.

“Tem uma certa afinidade entre nós dois, desde o último encontro em Osaka (na reunião do G20). Acredito que vai ser uma tarde bastante proveitosa”, completou Bolsonaro.

Aos 34 anos, Mohammed acumula as posições de ministro da Defesa, vice-primeiro ministro e herdeiro do trono saudita e vêm ganhando destaque na imprensa internacional graças a seus esforços para modificar a imagem internacional do reino saudita, um dos mais conservadores e fechados de todo o mundo árabe.

“O importante é que eles querem investir maciçamente no Brasil. Eles têm falado isso. A questão da segurança alimentar também é importante. Eles têm falado que a confiança no novo governo os tem levado a querer investir no Brasil. Isso os encoraja a investir no Brasil. E o Brasil não vai deixar passar essa oportunidade”, disse o presidente brasileiro.

Bin Salman é suspeito de ordenar o assassinato do jornalista Jamal Khashoggi, visto pela última vez com vida dentro da embaixada saudita na Turquia. Seu corpo foi desmembrado e removido do prédio e seus restos mortais não foram encontrados. Em junho, a ONU divulgou um relatório em que diz ter encontrado “provas confiáveis” do envolvimento do príncipe herdeiro na morte do colunista do jornal “Washington Post”, classificando o crime como um “um assassinato extrajudicial pelo qual o Estado da Arábia Saudita é responsável sob a lei internacional dos direitos humanos”.

*M1