Bolsonaro sugere que cloroquina pode ser placebo: ‘Pelo menos não matei ninguém’

 

Os medicamentos sem eficácia comprovada no tratamento da Covid-19 cloroquina e hidroxicloroquina, cujo uso é estimulado pelo presidente da República Jair Bolsonaro, voltaram a ser tema tratado por ele nesta quinta-feira (4), em uma live do Facebook. Nesse episódio mais recente, o chefe do Executivo brasileiro questionou “por que não tomar?” e sugeriu que no futuro os medicamentos podem ser comprovados como equivalente a um placebo.

Ao lado do presidente da Anvisa, Antônio Barra Torres, Bolsonaro afirmou que “pode ser que lá na frente falem: uma chance é zero, era um placebo. Tudo bem, paciência. Me desculpa, tchau. Pelo menos não matei ninguém”, disse.

O placebo se trata de uma substância neutra, ou seja, não tem efeitos farmacológicos.

“Se não faz mal, o médico falou que não está previsto esse mal que você tem na bula do remédio; não provoca arritmia. Por que não tomar? Eu tomei”, afirmou Bolsonaro.

Fonte: BN