Rui Sputinik é o novo apelido do governador, diz Robinson, depois de decisão da Anvisa facilitar entrada de Vacina no Brasil

O deputado estadual Robinson Almeida (PT) apelidou o governador Rui Costa de “Rui Sputinik” depois da Anvisa retirar exigência de testes na fase 3 no Brasil para vacinas contra o Coronavírus, o que na prática facilita a entrada da vacina Sputnik V no país. O imunizante apresentou, em testes clínicos, eficácia de 91,6% e já é utilizado, além da Rússia, em países como Argentina, Hungria e México. Desde setembro do ano passado que o governo baiano tem um acordo de cooperação, junto ao governo russo e a União Química, empresa responsável pelo imunizante no Brasil e na América do Sul, para aquisição de 50 milhões de doses. A aquisição, contudo, precisava de autorização da Anvisa, o que motivou o governo da Bahia a entrar com uma ação, em 16 de janeiro, no Supremo Tribunal Federal (STF) para que o estado pudesse fazer a compra direta da vacina russa Sputnik V.

“O Brasil deve reconhecer a luta do governador da Bahia para a Anvisa liberar novas vacinas no Brasil. Não fosse a determinação de Rui, com a ação no STF, a Anvisa continuaria com exigências descabidas e o povo sem novas vacinas”, afirmou o deputado. “Uma luta global como essa, contra um vírus que ceifou milhões de vida, deve ser feita com o uso de várias vacinas e, como a demanda mundial é grande e a oferta, no momento, pequena, os países que saíram na frente, formalizaram acordos, levam vantagem na aquisição dos imunizantes para proteger sua população. O governador Rui Costa compreendeu isso, como líder, estatista e humanista, e fez a correria para que a Bahia e o Brasil tivessem acesso a outras vacinas, como a Sputnik”, enfatizou Robinson, que criticou a omissão do governo Bolsonaro e a ausência de um plano nacional no combate a pandemia.

Previsão para imunização –

Em publicação no microblog Twitter, o governador Rui Costa também celebrou a alteração do texto do guia da Avisa, que estabelece requisitos mínimos para o pedido de uso emergencial de vacinas para Covid-19. “Uma vitória importante nesta nossa luta para garantir mais doses para vacinar brasileiros e brasileiras”, escreveu. O presidente da União Química, empresa responsável pelo imunizante na América do Sul, Fernando de Castro Marques, disse, em entrevista a Globo News, que 10 milhões de doses da Sputnik V devem ser importadas para o Brasil entre fevereiro e março, a produção nacional começar em abril e em maio o imunizante já deve está sendo usado para proteger a população brasileira.