‘Bolsonaro faz da Polícia Federal a sua Gestapo’, diz deputado

Foto: Divulgação / Câmara Federal

O deputado federal Félix Mendonça Júnior (PDT) criticou duramente a decisão da Polícia Federal de abrir inquérito para investigar o ex-governador do Ceará Ciro Gomes (PDT) em função de críticas feitas pelo líder pedetista ao presidente Jair Bolsonaro.

“O presidente da República faz da PF a sua Gestapo, utilizando a polícia judiciária, a quem deveria respeitar mais diante dos relevantes serviços prestados pela corporação à nação, para tentar intimidar desde artistas e influenciadores digitais a adversários políticos”, disse o parlamentar baiano.

Félix disse que essa atitude de Bolsonaro demonstra de fato que ele quer controlar politicamente a PF. “Todas as manobras feitas pelo presidente desde que assumiu o Palácio do Planalto foram nesse sentido: o de proteger a própria família, os filhos, todos com problemas na Justiça, e para blindar a si próprio. Essa é a prioridade, mesmo durante a pandemia. Por isso, temos que ficar vigilantes para impedir qualquer golpe à democracia”, afirmou o deputado.

Segundo o jornal O Estado de São Paulo, o ex-governador cearense virou alvo da PF por criticar Bolsonaro em entrevista concedida a uma rádio de Sobral (CE), que aconteceu em novembro do ano passado.

Na ocasião, Ciro falou que a população tinha um sentimento de “repúdio ao bolsonarismo, à sua boçalidade, à sua incapacidade de administrar a economia do país e seu desrespeito à saúde pública”.

O ex-ministro também chamou o presidente de “ladrão” e falou sobre a “rachadinha”, que envolve os filhos de Bolsonaro. “Se o presidente da República se sentiu ofendido, ele deveria fazer como qualquer cidadão: ir à Justiça. O que não pode, numa democracia, é usar o aparato policial do Estado para perseguir adversários. É mais um expediente perigoso que demonstra a falta de apreço de Bolsonaro pela democracia. De nova política isso não tem nada, pelo contrário, é coisa de ditador antiquado”, afirmou Félix.

*iBahia