“É conveniente que o município tome a cautela em comunicar”; diz Promotor de Justiça sobre o corte das árvores na Rua da Linha

Após várias reclamações recebidas pelo Ministério Público nesta terça (12) sobre o corte das árvores na Rua Vereador João Silva, conhecida Rua da Linha, o promotor Dr. Julimar Barreto foi até o local para verificar o ocorrido. De acordo com o promotor, a prefeitura não comunicou ao Ministério Público sobre a retirada das árvores, o que provocou surpresa também para a população.

Segundo o promotor, o engenheiro responsável pela ação informou que a prefeitura havia autorizado a empresa para cortar as árvores.   Dr. Julimar, então, entrou em contato com a Secretaria do Meio Ambiente do município a qual explicou que a maioria das árvores cortadas era de uma espécie exótica conhecida como Ficus e que não contribuía para fins de urbanismo, por isso seria feito um novo projeto de plantio adequado de novas árvores.

Dr. Julimar esclarece ainda que o Ministério Público do município não determina o prazo para a reposição das árvores, mas pode intervir casos específicos. “Não, é conveniente que o município faça, aí não cabe o Ministério Público intervir. Pode intervir no caso de ter uma árvore tombada, árvore de relevante valor para sociedade, então o Ministério Público pode intervir para que essa árvore seja tombada pelo patrimônio municipal e seja isenta de corte” explicou.

Para o promotor, o reconhecimento do Codema e a comunicação dessas ações (Conselho de Defesa do Meio Ambiente) são importantes em situações como essa. quando for fazer uma intervenção dessa ordem, que comunique à sociedade, ao Codema e à impressa. A ação muitas vezes pode até ser legítima, ter boa intenção, mas as pessoas que não sabem, são pegas de surpresa, tanto é que ligaram denunciando”, adverte.

(Viviane Silva/Blog do Valente)