Negro, homossexual e bolsonarista, Adão Andrade critica Lula Livre

 

Idealizador do concurso Pérola Negra, Adão Andrade foi um dos convidados do programa Levante a Voz, na Rádio Andaiá FM desta sábado, 09. Após o sucesso, o concurso ganha a versão Baby que será realizado no dia 1º de dezembro, às 15h. Podem participar crianças entre 4 e 11 anos, devidamente autorizadas por pais e responsáveis. As inscrições podem ser realizadas através do número (75) 98857-4051.

Durante a participação no programa, Adão foi questionado a respeito da liberdade do ex-presidente Lula, liberto após decisão do Supremo Tribunal Federal nesta sexta-feira, 08. “Eu fiquei estarrecido, até publiquei uma nota. Eu estava de luto pela morte da justiça brasileira”, enfatizou. Segundo o entrevistado, a liberdade de Lula mostra que o crime compensa quando se trata de políticos. “Eu acompanho casos, eu faço escolta no meu dia a dia e vejo casos de pessoas que estão em um presídio porque roubaram um celular, uma bicicleta…aí o STF libertou quase 5 mil presos, muito desses perigosos para a sociedade, atestando que o crime no Brasil compensa sim. Não para todos, não para o preto, não para o pobre, mas para o político sim”, afirmou.

Perguntado sobre a sua preferência pelo presidente Jair Bolsonaro, Adão confessou que mesmo com medo, diante das declarações polêmicas do presidente, preferiu votar nele. “Não só eu, como outros milhões de brasileiros estávamos desesperados com a iminência do PT voltar ao poder e transformar o país em uma nova Venezuela”, ponderou.

Produtor cultural, autodeclarado negro e gay, Adão diz que reconhece Bolsonaro como homofóbico, mas acredita que, diferente do PT,  ele não enganou ninguém em seu discurso. “Ele é homofóbico sim, mas quem não é?”. Para ele, o PT teria prometido acabar com a corrupção, quando na verdade teria se aliado aos corruptos. Adão afirmou ainda que embora não entre em embates com a comunidade LGBT, reconhece que grande parte dos militantes da causa discordam dele e criticam o governo atual.

Adiante o vídeo e confira a entrevista completa a partir de 1:11:30:

 

 

 




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *