Recorde de desemprego em SAJ: 859 pessoas foram demitidas em maio; saldo negativo foi de 658 vagas no mês

Santo Antônio de Jesus registrou 859 demissões no mês de maio. Este é a maior taxa de demissão no município desde que o CAGED (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) foi criado. De acordo dados levantados pelo Blog do Valente, o município teve 201 admissões e 859 demissões, gerando um saldo negativo de 658 vagas mês.

O saldo negativo elevado é resultado da crise econômica por conta do coronavírus e do fechamento da fábrica Ramarim no município, que demitiu mais de 300 funcionários. O Blog do Valente apurou ainda que conforme dados do CAGED, os dados de Santo Antônio de Jesus foram piores que de cidades maiores, a exemplo de Simões Filho que, de acordo o CAGED, registrou  647 admissões e 931 demissões, tendo saldo negativo de 284 vagas, e Alagoinhas que registrou 301 admissões e 619 demissões, fechando o mês de maio com o saldo negativo de 318 vagas.

O Blog do Valente apurou também no CAGED que o município de Valença teve, em maio, 36 admissões e 275 desligamentos, saindo com um saldo negativo de 238 vagas. Cruz das Almas registrou 85 admissões e 147 desligamentos, fechando o mês de maio com o saldo negativo de 62 vagas.

 

Bahia

De acordo com boletim da Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), o estado da Bahia encerrou, somente no mês de maio, 17.033 postos de trabalho. O número resulta da diferença entre 24.664 admissões e 41.697 desligamentos. A SEI tem como base os dados do Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged) . A redução, de acordo com o boletim, está associada as consequências da pandemia do novo coronavírus.

Em maio de 2020, o estado ocupou a última posição em relação à geração de postos dentre os estados nordestinos e a 21ª dentre os estados brasileiros. Com a pandemia, a exceção do Acre, todos os estados fecharam postos. No Nordeste, a Bahia foi acompanhada pelo Ceará (-9.476 postos), Pernambuco (-6.952 postos), Sergipe (-3.410 postos), Paraíba (-3.405 postos), Piauí (-3.359 postos), Rio Grande do Norte (-3.027 postos), Alagoas (-2.372 postos) e Maranhão (-1.238 postos).

Com exceção dos Serviços domésticos, que não registrou saldo, e da Administração pública, que totalizou saldo positivo de 1.305 postos, todos os outros segmentos contabilizaram saldos negativos no mês de maio de 2020: indústria geral (-4.834 postos), Comércio (-4.176 postos), alojamento e alimentação (-3.796 postos), Informação, comunicação e outras atividades (-2.159 postos), construção (-1.703 postos), transporte, armazenagem e correio (-1.278 postos), agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura (-206 postos) e outros serviços (-186 postos).

De acordo com a SEI, “analisando-se os dados referentes aos saldos de empregos distribuídos no estado em maio de 2020, constata-se perda de emprego na RMS e no interior. De forma mais precisa, na RMS foram fechados 7.435 postos e no interior 9.598 posições celetistas”.