Opinião: “Porque investir em universidade se não tem vaga para todo mundo no mercado de trabalho?”

 

Em entrevista ao programa Sem Censura, em agosto deste ano, o ministro da educação Milton Ribeiro afirmou que “Tem muito engenheiro, advogado, dirigindo Uber porque não consegue colocação devida. Se fosse um técnico de informática, conseguiria emprego, porque tem uma demanda muito grande”, declarou. A universidade, na verdade, deveria ser para poucos, nesse sentido de ser útil para a sociedade”, comentou.

Na opinião do radialista Leo Valente essa afirmativa do ministro é válida se for dita pra os seus próprios filhos.

“’Meu filho, não vá pra faculdade porque não é garantido que você vá arrumar emprego’. Geralmente quem adota esse discurso diz para seu filho e pra seus netos: ‘Vá estudar porque senão você não vai ser ninguém’. Eu pergunto, se não vai ter emprego pra todo mundo quem terá mais facilidade de arrumar emprego, quem tem diploma ou quem não tem? Quem tem mais chance de ser contratado na falta de emprego?

Então, o discurso na verdade é o seguinte: ‘Não adianta faculdade pra todo mundo’. O filho dos outros. ‘Porque não vai ter vaga pra todos, mas meu filho vai fazer faculdade porque senão ele vai ter dificuldade para arrumar emprego’.

Agora, eu acredito em quem defende esse discurso e disser: ‘Meu filho não vai pra faculdade, ele vai trabalhar porque não é garantido que com faculdade ele vai arrumar um emprego’.

Então, é muito fácil dizer que não deve ter faculdade para todos desde que ele possa pagar e garantir a do filho dele. Tem que ter faculdade, sim. Para todo mundo.

E digo mais, pra você que vem de uma família de pessoas simples, seu pai não fez faculdade, seu avô não fez, aí você tem uma dificuldade na vida. Pra quem nasceu sem herdar nada, os pais tem uma chance pra mudar de vida. Não é necessariamente futebol, sorte ou música é estudando, meu amigo. Faculdade e universidade tem aí e que venham muito mais”.